Em bloomberg / mercados

Loucura por Neymar ajuda Band a voltar ao mercado de bônus 10 anos após moratória

A empresa de mídia planeja uma venda internacional de bônus no valor de US$ 200 milhões para tirar vantagem da crescente confiança dos investidores

Neymar - Bloomberg
(Bloomberg)

2 de julho - A paixão pelo futebol no Brasil está abrindo caminho para que a empresa Rádio e Televisão Bandeirantes Ltda. venda os primeiros bônus desde que declarou moratória há uma década.

A empresa de mídia, uma das duas a transmitir as partidas da Copa do Mundo -- e a busca do Brasil pelo seu sexto título -- pelo sinal de antena, planeja uma venda internacional de bônus para tirar vantagem da crescente confiança dos investidores, impulsionada por uma receita maior com anúncios do evento esportivo mais assistido do planeta. A Bandeirantes planeja vender US$ 200 milhões em notas para refinanciar sua dívida de curto prazo, disse a Standard Poor's em 26 de junho.

A rede, que também transmite programas de televisão como "The Walking Dead", registrou um incremento de 30 por cento na receita líquida no primeiro trimestre, pois as empresas pagaram adiantado pelos espaços dos anúncios transmitidos durante a cobertura da Copa do Mundo, segundo um prospecto da venda de bônus obtido pela Bloomberg News. Embora a empresa provavelmente pague dois pontos porcentuais extras de rendimento para levantar fundos depois de ter freado os pagamentos de US$ 100 milhões de dívida internacional em 2002, a retomada nos lucros pavimentará o caminho para uma venda, segundo o Crédit Agricole SA.

"Eles provavelmente retornarão aos lucros com o impulso da Copa do Mundo, de forma que estão apresentando isso como uma história de recuperação", disse Marco Aurélio de Sá, diretor de operações de renda fixa da corretora de Miami da Crédit Agricole Securities nos EUA, por e-mail. "Eles precisam mostrar resultados consistentes nos próximos trimestres. A empresa continuará altamente endividada".

A S&P disse em um relatório que projeta classificar os bônus como BB-, três degraus abaixo do grau de investimento. O rendimento médio para bônus em dólar classificados de forma similar é de 5,47 por cento, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Direitos do torneio
A melhora da receita com a Copa do Mundo ajudará a empresa a reduzir as razões de alavancagem e a elevar a lucratividade, disse a S&P no comunicado. A Bandeirantes, quarta maior emissora de televisão do Brasil em participação de mercado, pagou US$ 63,7 milhões pelos direitos de transmissão da Copa do Mundo e outros US$ 35 milhões pelos dos Jogos Olímpicos de 2016, segundo o prospecto.

A empresa está conseguindo um impulso com as vitórias do Brasil, liderado pelo atacante Neymar, com seus 22 anos. A seleção venceu o Chile nos pênaltis em 28 de junho e jogará a partida pelas quartas de finais no dia 4 de julho, contra a Colômbia.

Os espectadores vêm sendo atraídos pela maior média de gols marcados desde 1982, de 2,8 por partida, e por jogos com até três minutos a mais de tempo corrido em relação aos da Copa do Mundo de 2010. O torneio também incluiu surpresas, como a classificação de duas seleções africanas para a fase eliminatória pela primeira vez na história do evento, e a queda de três ex-campeões -- Inglaterra, Itália e a atual dona do troféu, Espanha -- ainda na fase de grupos.

Salto de 25%
A audiência da rede saltou cerca de 25 por cento nos primeiros 34 jogos do torneio, na comparação com as partidas de 2010, na África do Sul, disse a Bandeirantes em resposta por e-mail a perguntas da Bloomberg. A empresa preferiu não comentar a oferta de bônus.

O prejuízo líquido da empresa encolheu para R$ 20,8 milhões (US$ 9,4 milhões) em 2013, contra R$ 24,1 milhões no ano anterior. Apesar de o lucro líquido ter atingido R$ 11,4 milhões no primeiro trimestre, a Bandeirantes tinha uma deficiência de capital de giro de R$ 515,6 milhões no fim de março e patrimônio líquido negativo, condições que foram citadas pelos auditores como uma "preocupação constante", segundo o prospecto.

 

Contato