Em banrisul

Governador gaúcho anuncia novo presidente do Banrisul; ações sobem até 4,3%

De acordo com o governador Eduardo Leite, Claudio Coutinho é uma escolha estratégica para os planos do do Estado e será um presidente que fortalecerá o banco; mercado fica de olho no futuro da estatal, entre notícias de venda de ações e privatização

Banrisul
(Divulgação)

SÃO PAULO - O banco estatal gaúcho Banrisul (BRSR6) tem um novo presidente, o economista Claudio Coutinho. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira (14) pelo governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, durante entrevista coletiva no Palácio Piratini, em Porto Alegre.

De acordo com o governador, a escolha é estratégica para os planos do governo do Estado e Coutinho será um presidente que fortalecerá o banco, "dando foco especial para áreas que são estratégicas para o desenvolvimento econômico do Estado".

Coutinho é formado em Economia e em Engenharia Civil, foi CEO do banco CR2 de Investimentos e também esteve na direção do banco BBM. Ele também foi diretor da área de Crédito e da área Financeira e Internacional do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Nesta sessão, as ações BRSR6 chegaram a subir 4,30%, para depois amenizarem os ganhos. 

Vale destacar que, nos últimos meses, os acionistas do Banrisul mostram apreensão sobre o futuro do banco em meio às dúvidas sobre se o governo gaúcho, que passa por uma grave crise fiscal, fará a venda de parte de ações do banco ou se o privatizará. 

O Banrisul divulgou seus resultados no último dia 12, e eles foram bem recebidos pelos investidores. O lucro em 2018 cresceu 20,3%, para pouco mais de R$ 1 bilhão. A inadimplência caiu e a margem financeira aumentou. A estratégia de mais longo prazo do banco, porém, é questionada por seus acionistas. 

No começo do mês, Leite afirmou que está disposto a vender parte da fatia do governo no banco, com o objetivo de assinar o Regime de Recuperação Fiscal (RRF), acordo com a União que suspende o pagamento da dívida estadual. Porém, a decisão pode ser “desastrosa”, segundo destacou em carta aberta ao Estado Thiago Wolf, gestor e sócio da Zenith Asset Management, gestora de Porto Alegre que tem ações do banco em sua carteira desde 2015.

Já uma possível privatização está no radar para os acionistas do Banrisul desde o ano passado, durante o governo de José Ivo Sartori. Contudo, analistas sempre se mostraram céticos com essa possibilidade, pois não seria um processo direto que exigiria um plebiscito no Estado, ao mesmo tempo em que o atual governador tem refutado a ideia de privatizar o banco. 

Ao anunciar o novo presidente do Banrisul, Leite indicou que continuará com as vendas parciais de ações, como aconteceu em 2018. “No limite do controle acionário, é possível que as ações sejam negociadas”, disse, de acordo com o Correio do Povo.    

Invista em ações com corretagem zero. Clique aqui e abra uma conta na Clear.

 

Contato