Radar: acompanhe algumas das principais oscilações na bolsa nesta terça-feira

Ibovespa ameniza ganhos após indicadores dos EUA mas segue em alta, Bradesco e Santander caem forte após balanços trimestrais
Por Nara Faria  
a a a

SÃO PAULO - Amenizando os ganhos vistos no começo do dia, o Ibovespa opera em alta de 0,21% na tarde desta terça-feira (31), com o mercado reagindo positivamente ao desenrolar da crise da dívida da Zona do Euro, após líderes europeus caminharem para um consenso sobre fundos de resgate e novas regras fiscais para a região. Ainda por lá, aumenta a expectativa de que um acordo entre Grécia e credores privados seja anunciado até o fim da semana. 

Na agenda econômica, a taxa de desemprego na Zona do Euro e o custo da mão de obra nos EUA vieram em linha com expectativas do mercado. Já a atividade industrial na região de Chicago e a confiança do consumidor norte-americano vieram pior do que o esperado pelo mercado.

Bancos recuam após resultados trimestrais
A despeito do dia positivo no mercado, os bancos brasileiros figuram entre as maiores perdas do Ibovespa nesta sessão, refletindo os resultados do quarto trimestre divulgados por Bradesco (BBDC4) e Santander (SANB11).

As ações do Bradesco lideram as perdas do Ibovespa nesta terça, registrando desvalorização de 3,12%, sendo negociadas a R$ 31,41. A queda dos papéis sucede a divulgação dos números referentes ao quarto trimestre de 2011, quando o banco revelou um lucro líquido de R$ 2,72 bilhões, inferior aos R$ 2,98 bilhões do mesmo período do ano passado.

Os units do Santander ocupam a segunda pior posição do Ibovespa, com desvalorização de 1,95%, sendo negociados a R$ 16,11. A instituição também divulgou os seus números referentes ao quarto trimestre de 2011 nesta terça-feira e decepcionou o mercado após o lucro líquido recuar 6,21% frente ao mesmo período do ano anterior. 

Outras ações do setor financeiro completam a ponta negativo do índice. As ações da Itaúsa (ITSA4, R$ 11,35, -1,65%) e Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 34,94, -1,58%) ocupam o terceiro e o quarto lugar no ranking de perdas deste início de tarde.

HRT inicia perfuração no Solimões
Por sua vez, a HRT (HRTP3, R$ 461,38, -2,46%) começou a perfurar o poço 4-HRT-7D-AM, no prospecto Igarapé Maria, localizado na Bacia do Solimões. A operação vai testar uma posição estrutural mais elevada do que no poço 1-HRT-4-AM, para tentar alcançar os reservatórios da Formação Juruá.

Notícias da Vale
Além disso, a Vale (VALE3, R$ 44,11, +1,43%VALE5, R$ 42,25, +1,49%) conseguiu na véspera uma liminar na Justiça contra a decisão que a obriga a pagar tributos relativos ao seu lucro apresentado no exterior. Agora, os processos devem voltar ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, onde serão novamente julgados.

Além disso, a mineradora resolveu suspender todas a exploração subterrânea de suas minas em Sudbury, no Canadá, depois que um dos funcionários morreu em um acidente. As operações acima da terra, no entanto, devem continuar.

Marfrig: transferência de negociações
A Marfrig (MRFG3, R$ 8,11, -0,61%) anunciou nesta terça que o prazo para as negociações sobre a transferência de suas operações logística à JSL (JSLG3), foi transferido para o dia 15 de fevereiro. Incialmente a data para negociação final das bases e das premissas técnicas e operacionais do contrato era o dia 30 de janeiro .

Brasil Travel: reservas para IPO
Por fim, inicia nesta terça-feira o período de reservas para que os investidores participem do IPO (Initial Public Offering) da Brasil Travel. Os investidores poderão enviar seus pedidos até o pregão do dia 7 de fevereiro.

Assuntos relacionados: Petróleo

Deixe seu comentário