Em usiminas

Usiminas reporta pior trimestre em dois anos e ações devem registrar queda

Despesa operacional cresceu acima do esperado

Produção de aço
(Shutterstock)

SÃO PAULO - As ações da Usiminas (USIM5) devem abrir o pregão em queda nesta sexta-feira (15) após a companhia reportar o pior resultado trimestral em dois anos.

"O principal destaque foi o custo da siderurgia, com a despesa operacional por tonelada com valor 5% acima da nossa expectativa e alta de 11% ante o terceiro trimestre de 2018, pressionado por frete e custos de manutenção", destaca Karel Luketic, analista da XP Investimentos. 

O volume e o preço de aço no mercado doméstico vieram em linha com as expectativas da XP. 

Quer investir em ações com TAXA ZERO de corretagem? Abre uma conta na Clear.

Mais números

O lucro atribuído aos acionistas da companhia, que é aquele que é utilizado no cálculo para a distribuição de dividendos, ficou em R$ 354,8 milhões, ante prejuízo de R$ 49,9 milhões em igual trimestre do ano anterior.

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado chegou a R$ 830 milhões entre os meses de outubro a dezembro do ano passado, alta de 84% em relação ao observado em igual período do ano anterior, R$ 450 milhões. Na comparação com o terceiro trimestre, a alta foi de 18%. No ano, a geração de caixa pelo mesmo critério somou R$ 2,69 bilhões, alta de 23%.

A margem Ebitda ajustada foi de 24% no quatro trimestre de 2018, ante 15% em igual período de 2017 e de 18% no terceiro trimestre. No ano, a margem ficou estável, em 20%.

A receita líquida, por sua vez, ficou em R$ 3,43 bilhões no trimestre, queda de 11% na comparação com o terceiro trimestre de 2018, mas alta de 12,5% na comparação anual. No acumulado do ano, as receitas subiram 28% para R$ 13,7 bilhões.

 

Contato