Em ultimas-noticias

Mercado nervoso pede estratégias de curto prazo, diz Luiz Fernando Roxo

Para o gestor de investimentos, fatores imponderáveis — como o atentado contra o presidenciável Jair Bolsonaro, semana passada — podem acontecer novamente e influenciar o desempenho dos papéis

SÃO PAULO - Pozinho de Petrobras curto, tanto de call quanto de put; trava de alta e de baixa curta, de Petrobras e de Vale, fora do dinheiro; e lançamento coberto. Essas são algumas das operações sugeridas, por ora, pelo gestor de investimentos Luiz Fernando Roxo, para operar em meio à alta volatilidade que tem dominado o mercado.

As sugestões foram dadas durante o programa A Hora das Opções de hoje (10), em que Roxo, além de detalhar exemplos de operações, comentou sobre o cenário político-econômico e suas possíveis influências no desempenho dos ativos.

“Estamos no meio da campanha eleitoral e a volatilidade do mercado não para de subir, principalmente depois do atentado de quinta-feira (contra o presidenciável Jair Bolsonaro)”, alertou o gestor, reforçando que o “imponderável” pode acontecer de novo — daí a necessidade de concentrar as operações com opções em estratégias de curto prazo.

Veja abaixo o programa A Hora das Opções.

Lembrando que hoje é o último dia para você se inscrever no curso Ultimate Opções. Neste curso, você vai dominar os conceitos mais modernos de operações com opções para se beneficiar das oscilações do mercado e transformar a sua realidade.

Contato