Stock Pickers

Quem dá mais? Dou-lhe uma, dou-lhe duas…

O ser humano é racional, mas nem sempre

Por  Josué Guedes

Texto originalmente enviado aos assinantes da newsletter Stock Pickers no sábado, 04 de dezembro de 2021. Para receber os próximos, clique aqui.

Você pagaria mais de um dólar por um dólar!?

Obviamente sua resposta é um alto e sonoro “não”! É completamente irracional pagar mais de um dólar por um dólar.

Mas para quem se considera 100% racional, o experimento do economista Martin Shukik, especialista em teoria de jogos, é um verdadeiro choque de realidade.

Em 1963, Shukik criou um leilão que até hoje é feito em grandes universidades e provoca boas risadas e demonstra como é possível alguém tomar a decisão irracional de pagar mais de um dólar por um único dólar.

Como todo leilão, esse também tem um objeto (1 dólar) e quem dá o maior lance leva dólar, mas tem uma regra especial que faz toda a diferença: o segundo maior lance também paga, sem levar nada.

Para ficar mais claro, digamos que você dê o maior lance (50 centavos), e seu amigo ofereça o segundo maior lance (30 centavos): você levará a nota de 1 dólar com um lucro de 50 centavos e seu amigo terá apenas um prejuízo de 30 centavos, porque o segundo maior lance terá que pagar.

Quando o experimento inicia, não demora muito para surgir o primeiro lance: “pago 1 centavo!”.

Na sequência vem a oferta de 2 centavos e assim adiante. Ao chegar nos 99 centavos, um fenômeno instigante acontece.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apenas mais um lance e o leilão ficaria no “zero a zero”, porque alguém levaria 1 dólar por um 1 dólar.

Porém, o leiloeiro relembra a quem deu o segundo maior lance o que explicamos lá no começo: ele também pagará, apesar de não levar nada.

Agora, se decidir o leilão e aumentar o lance para US$ 1,01, irá diminuir seu prejuízo de 99 centavos para apenas 1.

Como num lampejo de “racionalidade”, o segundo colocado oferta um dólar e um centavo por um dólar para evitar um mau negócio e a escalada da irracionalidade toma de conta do ambiente.

Essa “brincadeira” já chegou a ter lances finais de mais de 200 dólares! Sim, os leiloeiros levaram mais de US$ 400,00 para casa leiloando apenas 1 (nada mal).

Sem participar do leilão, você deve estar achando isso tudo muito irracional, mas o jogo foi criado justamente para demonstrar o paradoxo existente na “teoria das decisões racionais”, porque, quando o primeiro e o segundo passam a somente tentar a minimizar a perda, a escalada irracional é inevitável.

Muito além de um apenas um experimento de universidade, o leilão de 1 dólar ajuda a explicar situações comuns entre investidores quando as coisas não vão muito bem e “ganhar mais” acaba virando apenas “perder menos”.

Ou questões empresariais que envolvem duas companhias competindo num mesmo setor e queimando muito caixa para conseguir adquirir clientes e crescer.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Esse segundo exemplo foi brilhantemente abordado no nosso episódio da última quinta-feira com Louise Barsi, sócia-fundadora do Ações Garantem o Futuro (AGF) e filha do megainvestidor Luiz Barsi, e Welliam Wang, gestor da AZ Quest.

Perguntado sobre o setor de varejo/ecommerce, Wang usou o leilão de 1 dólar para explicar sua tese contando uma história que envolve o homem mais rico do mundo e um multimilionário que faz parte também de um grupo carinhosamente conhecido como Máfia do PayPal.

Assita aqui o trecho exato sobre o leilão e depois volte o episódio para o começo para assistir todo episódio e saber o que a Barsi tem na carteira e conhecer mais a filosofia de investimento de um dos maiores investidores da bolsa brasileira, Luiz Barsi Filho.

Josué Guedes
CMO do Stock Pickers

Compartilhe