Coffee & Stocks

Por que a inflação deve dar uma trégua em 2021

No último Coffee & Stocks do ano, falamos sobre um dos maiores temores do mercado nesse ano.

arrow_forwardMais sobre

Neste fim de ano, além das várias projeções para câmbio e bolsa para o próximo ano, os investidores também estão de olho num tema que dominou os noticiários em 2020: inflação.

Hoje, no último Coffee & Stocks do ano, com a economista da XP, Lisandra Barbero, esse assunto não poderia ficar de fora.

“Quando falamos de inflação, temos um componente muito importante, que é a parte fiscal. E tudo que eu falar a respeito de inflação depende muito de como ficarão as decisões da agenda fiscal em 2021. Partindo do pressuposto de que o teto de gastos será mantido e que a gente não verá um descontrole fiscal no ano que vem, tudo nos faz ter um entendimento semelhante ao do Banco Central de que essa inflação, por mais elevada que ela esteja nos últimos meses, é passageira”, explicou Barbero.

Nos últimos anos, a inflação no Brasil tem permanecido sempre muito próxima ou abaixo do centro da meta definida pelo conselho monetário nacional. E foi justamente o fato de a inflação ter permanecido controlada nos últimos anos que permitiu ao Banco Central reduzir a taxa Selic aos níveis atuais.

Porém, em 2020, especialmente, a pandemia trouxe um conjunto de fatores novos, que, para Lisandra, podem ser considerados anomalias e que impactaram a dinâmica dos preços, mas não é algo extremamente preocupante para o ano que vem.

“O principal fator que justificou a inflação pressionada em 2020 (alimentos e bebidas), deve arrefecer em 2021. E a gente já tem algumas sinalizações indicando isso. A coleta da FGV já está começando a evidenciar que, na ponta, nas últimas divulgações, os preços dos alimentos já estão começando a arrefecer de forma gradual”, comentou Barbero sobre as perspectivas para a inflação em 2021.

Além disso, as perspectivas de um real mais valorizado, desemprego elevado (ociosidade alta) e na ausência de estímulos (auxílios), contribuem para a desaceleração no ano que vem.

Saiba mais sobre as projeções (PIB, Selic e câmbio) da equipe econômica da XP para 2021 no vídeo acima e até o próximo Coffee & Stocks ano que vem!

PUBLICIDADE