Stock Pickers

Entre otimismo e o receio com Caríbdis e Cila

Na estreia do Carteiros do Condado, destrinchamos a visão de grandes gestoras sobre o Brasil e a Bolsa.

Vocês já devem saber que o Stock Pickers e o Outliers são palco para que as maiores gestoras do Brasil e do mundo expressem suas ideias de investimento, filosofias e visões sobre os mais diversos assuntos. O problema é termos tanta gente boa para falar que nem sempre existe tempo para todos. Mas ainda podemos ler o que eles têm para falar.

As gestoras de recursos independentes têm uma tradição mensal, trimestral, ou semestral de expor suas ideias em cartas. Pensando nisso, reunimos uma seleção de carteiros qualificados para trazer essas leituras de forma mais didática e descomplicada possível: Thiago Salomão e Samuel Ponsoni serão os apresentadores do Carteiros do Condado, que juntamente com Carolina Oliveira (XP Fundos), Guilherme Anversa (XP Advisory) e eu, Lucas Collazo (Rico Investimentos), terão a missão de sintetizar todo esse conteúdo todos os meses.

No primeiro episódio já percebemos que as gestoras estão bem otimistas com o setor de commodities, como é o caso da Vinland e a Dahlia Capital. Ah, e a discussão que divide opiniões sobre o Ibovespa estar barato ou não, foi o enredo da carta da Encore: entender a bolsa apenas por múltiplos mais baixos pode te enganar sobre a bolsa estar efetivamente barata.

Enquanto isso, a Vista se mostrou mais otimista com o Brasil e mais exposta à bolsa brasileira, mesmo com muitos investidores preocupados com o tom da carta da Verde — quando eles falam todos param para ouvir ou ler (dessa vez, até monstro mitológico eles trouxeram para explicar os riscos que encaramos no cenário doméstico).

Para conferir tudo na integra, é só clicar no play acima (também está na versão podcast, no canal do Stock Pickers). Abaixo está meu resumo.

Por que ler cartas de gestoras?

Para se informar sobre economia e investimentos, entender melhor sobre os fundos que você investe ou pretende investir, e obviamente, aprender. Além disso, como fonte de diligência: quando gestores escrevem cartas, a filosofia de investimento dele é refletida ali. As cartas ajudam a evitar os vieses comportamentais de uma conversa.

Carol Oliveira

Trouxe as cartas de Dahlia e Vinland. Existe um consenso para commodities, por conta dos estímulos fiscais praticados ao redor do mundo. A carta da Dahlia falou sobre o fato de as commodities estarem batendo na inflação. Os gestores brasileiros estão consensuais sobre esse setor.

Thiago Salomão

Encore divulgou um estudo concluindo que a bolsa está barata, mas é importante entender os indicadores individuais das empresas. Destrinchou os dados, indo além apenas da relação preço-lucro. ​”Nossa conclusão é que, dessa vez, analisar no agregado, olhar para os baixos múltiplos do Ibovespa e pensar que isso indica que a bolsa está barata pode ser um engano.” (Carta da Encore)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Guilherme Anversa

A gestora Vista, depois de dois anos, está mais exposta ao risco do Brasil e com menos proteções. Eles têm liberdade para operar aqui e lá fora e mantém uma visão otimista mais para curto prazo no mix de aceleração da vacinação. Os gestores estão preocupados com a inflação, se posicionando na inflação implícita.

Samuel Ponsoni

Trouxe uma preocupação com o cenário doméstico, expressa da carta da Verde, com os monstros do cenário que podem assombrar os próximos meses. ​”…Na mitologia, Caríbdis e Cila eram monstros marinhos que representavam grandes perigos enfrentados pelos navegadores…”

Guilherme Anversa

Trouxe a carta da Oaktree. Ótima para ter uma noção de construção de portfólio lá de fora. Uma notícia positiva foi a leitura de que ainda estamos no início de um ciclo de retomada, mesmo que os preços não estejam não estejam aquela pechincha toda.