Stock Picking

Como um zootecnista se tornou analista de ações da maior corretora do Brasil

Só um conhecedor de animais poderia saber antes que comprar Marfrig ainda valia à pena porque as porcas chinesas não eram tão boas como pareciam

Por  MoneyLab -

Se um boi come determinada pastagem, se está na sombra, se está em terras planas ou planaltos, se pegou febre africana ou aftosa, tudo influencia na qualidade da carne e na produtividade do setor agropecuário. E claro, lá na ponta, no preço da ação dos frigoríficos na bolsa. E se um zootecnista, que entende da produção animal, resolve fazer análise fundamentalista de ações?

De cara, esse analista descobre antes se a China vai comprar mais porco ou não e como isso pode mexer numa ação como a da Marfrig. Essa história é real e foi contada pelo Leonardo Alencar, em uma recente live do Stock Pickers, que reabre as inscrições para seu MBA de ações.

O MBA em Ações e Stock Picking ensina a parte difícil para quem já está em outras profissões e quer começar a analisar empresas: a qualificação técnica para construir teses de Investimentos em ativos dos principais setores da bolsa brasileira, através da análise fundamentalista e Valuation.

O próprio Alencar conta que quando sentou na cadeira de analista da XP, em julho do ano passado, no meio da pandemia, não tinha a experiência técnica de um analista de ações. Mas sua trajetória de 16 anos no setor agropecuário fazia diferença.

Quando cursou a faculdade de zootecnia, Alencar já se voltou para as questões de mercado e assim acabou em consultorias, migrou para a corretora Votorantim para ser broker do mercado futuro de produtos agrícolas. Boi, milho, café.

Chegou a passar pela XP para montar a mesa institucional de commodities agrícolas, no distante ano de 2010, e acabou indo para o frigorífico Minerva, onde ficou por 9 anos até voltar agora para a XP.

Esta trajetória o deixou tarimbado para fazer análise das empresas de agro, alimento e bebidas, que são os setores que cobre hoje na XP. Mas o que o levou a mudar radicalmente de profissão? Ele não queria mais o selo de boi na testa. “Surgiu a dúvida: será que não sou especialista demais? É bom ser especialista quando setor está crescendo. Mas eu tinha um selo boi e queria um pouco mais generalista”.

Esta mudança passou pelo processo do aprendizado de analisar a parte financeira das empresas, entender de valuation. “Meu maior desafio é a parte financeira”.

Mas Alencar conta que também descobriu que trazia na sua bagagem uma outra habilidade importante: o didatismo.

Quando era consultor tinha que explicar a fazendeiros o que era mercado futuro. Algo muito parecido que os analistas precisam fazer para comunicar a mensagem corretamente, explica o que é a empresa, o setor que atua.

“A arte da análise financeira é que você tem que dominar, mastigar e esmiuçar qualquer empresa para chegar a um valor”, disse Alencar. Mas é aí que o conhecimento técnico do setor pode também fazer diferença.

Conhecer detalhes micro do setor, o dia a dia de uma empresa, leva esse tipo de analista, que carrega no seu currículo a experiência de ter estado no outro lado do balcão, a se antecipar a eventos que podem mudar o rumo de um setor. Além disso, algumas situações já aconteceram, são conhecidos no setor, mas demoram a chegar a ser notícia no mercado financeiro.

Este foi o caso da febre suína africana, que dizimou quase metade do rebanho da China, abriu buraco de demanda e mudou o setor. No segundo semestre, havia uma discussão sobre se o efeito da febre africana já tinha terminado, tendo em conta que que o número de porcas tinha crescido mais rápido que o previsto.

“Havia o receio (para quem apostou em frigoríficos com base na premissa de maior demanda) que a febre Africana havia desaparecido. Mas não”, diz Alencar.

O que aconteceu é que as novas porcas chinesas tinham uma genética pior e as fêmeas produziam menos leitões, então a produção de carne não estava acompanhando a velocidade de aumento de porcas. É o tipo de coisa que só um zootecnista consegue ver antes de todo mundo e assim recomendar com mais propriedade a compra de uma ação como a Marfrig.

E você? Em que setor você está? O que você consegue ver antes de todo mundo para fazer uma boa recomendação de ações? Se o que falta para ser um analista é apenas o conhecimento financeiro, isso se resolve com o MBA da Stock Pickers. Matricule-se. As inscrições estão abertas.

Compartilhe