Em profarma

Rumo da Profarma para varejo é bem visto pelo mercado e ação sobe mais de 8%

Em 12 dias, empresa anunciou três aquisições de redes de farmácias, puxando ganhos de 27% dos papéis

Saúde - Medicina - remédio - farmácia
(Getty Images)

SÃO PAULO - Em mais um esforço da Profarma (PFRM3) para se mover para o setor de varejo, a companhia fechou, na noite da véspera, a compra de uma participação na rede carioca de farmácias Tamoios, no valor de R$ 104 milhões, e se tornou dona de 50% da empresa. Em reflexo, as ações da empresa disparam 8,84% às 10h38 (horário de Brasília), aos R$ 16,50 - patamar máximo do dia -, enquanto o Ibovespa avançava 0,22%, aos 59.467 pontos. 

A iniciativa de ingressar no varejo é vista com bons olhos pela equipe de análise da XP Investimentos, ao estimar que esta aquisição pode adicionar valor com as sinergias potenciais entre Tamoios e Drogasmil, bem como entre as operações de varejo e as operações da Profarma. 

O comunicado foi realizado doze dias após a distribuidora de medicamentos e itens de higiene pessoal Profarma anunciar a compra de redes de farmácias Drogasmil e Farmalife, por R$ 87 milhões. Desde o dia 17, quando foi anunciado a aquisição, os papéis sobem 27,24%

A companhia soma agora um total de 142 lojas e R$ 700 milhões de faturamento com a divisão de varejo. A distribuidora é a terceira maior do País com receita líquida estimada de R$ 3,1 bilhões em 2012. 

 

Contato