EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em profarma

Ações da Profarma sobem mais de 10% após compra da CSB Drogarias

Papéis chegaram a subir mais de 15% na máxima do dia; companhia pagou R$ 87 milhões pela rede de drogarias e passa a deter cerca de 85 lojas da Drogasmil e da Farmalife

Saúde - Medicina - remédio - farmácia
(Getty Images)

SÃO PAULO - Após firmar a compra da totalidade das ações da CSB Drogarias - marcando assim sua entrada no ramo varejista de produtos farmacêuticos -, a Profarma (PFRM3) vê suas ações dispararem nesta sexta-feira (18) na BM&FBovespa. Às 11h38 (horário de Brasília), os papéis da companhia avançavam 14,74%, cotados a R$ 14,87 - mais cedo, eles chegaram a valer R$ 14,91, indicando valorização de 15,05% em relação ao pregão anterior -, enquanto o Ibovespa, principal índice de ações da bolsa brasileira, operava praticamente estável no mesmo horário.

Além da forte alta, impressiona também o giro financeiro de PFRM3 na Bovespa, que já supera os R$ 6 milhões nestas quase duas horas de negociação - apenas como base de comparação, o volume médio diária dessas ações nos últimos 21 pregões antes desta sexta era de R$ 1,3 milhão.

Segundo comunicado divulgado ao mercado, a Profarma firmou a compra da totalidade do capital da Casa Saba Brasil por R$ 87 milhões, após aprovação da operação pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Nascida em 2010 da aquisição de duas tradicionais redes de varejo farmacêutico - a Drogasmil e a Farmalife -, a CSB possuía cerca de 85 lojas dessas duas marcas espalhadas pelo Rio de Janeiro. Em 2011, essa empresa teve um faturamento de R$ 332,8 milhões.

Além de marcar a entrada da Profarma no mercado varejista, a aquisição vai em linha com o movimento de consolidação pelo qual passa o setor. Ademais, a companhia afirma em seu comunicado que espera sinergias com a integração das operações de atacado e varejo, especialmente nas áreas de logística e na sede corporativa.

“Esse movimento da Profarma, de consolidação e diversificação das atividades, de forma a atuar tanto na distribuição como no varejo de produtos farmacêuticos e de higiene e beleza, é uma tendência mundial”, afirma em comunicado Max Fischer, diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Profarma.

Expectativa com os ganhos de sinergia
Comentando a compra feita pela Profarma, a equipe de análise da XP Investimentos destaca em relatório que a notícia foi positiva, mas que agora o momento é de expectativa sobre como será o processo de unificação dessas empresas. "Vale acompanhar esta notícia, pois os planos de financiamento e sinergias esperados serão fatores decisivos sobre esta aquisição", escreve a corretora.

Já o time de analistas da Planner Corretora elogia o ingresso da companhia no ramo varejista de farmácia, que apresenta margens mais elevadas do que o segmento de distribuição.

Contato