Tarde demais

WSJ destaca discurso de Dilma no Senado, mas diz que é tarde para reverter impeachment

Apesar de todo o discurso de Dilma, o jornal americano destaca que a expectativa é grande para que ela seja considerada culpada e perca o mandato

SÃO PAULO – O discurso feito pela presidente afastada Dilma Rousseff no Senado nesta segunda-feira (29) também ganhou destaque na imprensa internacional. O Wall Street Journal comentou que a petista fez um discurso “por vezes emocional” e que durou 45 minutos, ressaltando que a fala da presidente foi focada em acusar o golpe de Estado que ela está sofrendo.

A publicação destacou alguns trechos da fala de Dilma, como o momento em que ela afirmou que “o que está em risco agora são as conquistas dos últimos 13 anos”, lembrando ainda de seu passado, quando foi torturada pela ditadura. O WSJ lembrou ainda que para a presidente sair definitivamente do cargo serão necessários os votos de 54 dos 81 senadores entre amanhã e quarta-feira (31).

Apesar de todo o discurso de Dilma, o jornal americano destaca que a expectativa é grande para que ela seja considerada culpada e perca o mandato. O WSJ lembra que na votação no início do mês, que julgou o relatório feito na comissão especial do impeachment, o resultado foi de 59 a favor e 21 contra, o que seria mais que suficiente para tirar a presidente definitivamente do cargo.

A publicação entrevistou ainda o cientista político e professor da PUC de São Paulo, Pedro Fassoni Arruda, que afirmou que Dilma deu um bom discurso, dizendo aos seus partidários o que eles queriam ouvir e colocando a situação no contexto histórico do Brasil, mas que é tarde demais para mudar as mentes dos senadores. “Ela falou claramente, e bem”, disse ele, “mas neste momento opiniões já foram formadas”.