Comentário diário

William Waack: manifestações antecipam segundo turno entre Bolsonaro e Haddad

Quem não for capaz de desenvolver uma narrativa um pouco mais abrangente, dificilmente consegue ganhar com os votos que tem ganhar no segundo turno, aponta o jornalista

SÃO PAULO – Manifestações pró e contra o candidato à presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, levam a algumas questões: o que elas nos contam sobre o processo político?

Gostou da análise? Receba a Newsletter de William Waack todos os dias no seu e-mail

PUBLICIDADE

Conforme aponta William Waack, essas manifestações sugerem uma possível antecipação de um segundo turno entre Bolsonaro e o candidato do PT, Fernando Haddad. “Elas são uma guerra cultural, no seguinte sentido: olhem para a manifestação de mulheres contra Bolsonaro. É uma manifestação identitária e serve para os partidos de esquerda saírem do cercadinho deles e ampliarem [sua interlocução] para outros grupos políticos na sociedade”, afirma. Ou seja, os grupos de esquerda conseguem dessa forma falar para um número muito maior do que tradicionalmente têm como eleitorado cativo.

William Waack aponta ainda que, quem não for capaz de desenvolver uma narrativa um pouco mais abrangente, dificilmente consegue ganhar com os votos que possui atualmente. 

Desta forma, o que a campanha de Bolsonaro tem a dizer em manifestações espontâneas? Ela também está jogando para a frente a ideia de que está falando para o conjunto da sociedade e não apenas para as pessoas que detestam o PT, afirma o jornalista.

“O anti-petismo é uma das forças da candidatura de Bolsonaro? Sem dúvida alguma”, aponta Waack. Contudo, ficar só nisso não é suficiente – e parece que a campanha está entendendo isso pelo tipo de mensagem e pelo tipo de aglutinação do candidato registrado nesse domingo, Confira o vídeo completo acima. 

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!