Comentário diário

William Waack: a economia não destrava enquanto o nó político não desatar

Por enquanto, até agora há algo nebuloso, não só sobre quem vai ganhar o pleito, avalia, mas também sobre como quem ganhar vai governar

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em meio a eleições incertas, vários dos acertos entre gestão pública e setor privado estão sendo colocados em dúvida, o que afeta a economia, destaca William Waack em seu comentário desta terça-feira. Para citar alguns exemplos, estão a cobrança de pedágios, tabelamento de fretes, além de incertezas sobre se haverá ou não privatização de algumas estatais, entre tantos outros pontos que estão em suspenso e afetam o País. 

“Insegurança e política, política e economia, eleições e economia: essa é a dimensão das eleições de outubro. Elas vão ter que traçar caminhos, pelo menos [trazer] uma definição”, destaca Waack.

PUBLICIDADE

Gostou da análise? Clique aqui e receba a newsletter de William Waack!

Por enquanto, até agora há algo nebuloso, não só sobre quem vai ganhar o pleito, avalia, mas também sobre como quem ganhar vai governar e quais são afinal os planos exatos para cada um dos pontos a serem endereçados – planos esses que virão à tona agora durante a campanha eleitoral.

Mas há algo mais simples no radar, avalia o jornalista: “a economia não destrava enquanto não destravar o nó político. Começa a ser destravado o nó político pelas eleições. Eu não lembro de eleições tão importantes na história desse país”.