Fiesp

“Vou fazer de tudo para CPMF não ser aprovada em hipótese nenhuma”, diz Skaf

Skaf, que é do PMDB, reuniu-se com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e participa ainda de outra reunião com um colega de partido

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, disse que a sua federação trabalhará junto ao Congresso para garantir que a volta da CPMF, anunciada pelo governo na segunda-feira (14), não seja aprovada. Segundo informações da Folha de S. Paulo, ele afirmou que o governo está “perdido” e que o pacote de medidas não realizou os cortes necessários e ainda aumentou a carga tributária. 

“Estou aqui para fazer de tudo, e faremos de tudo ao longo desses próximos dias, para não permitir, em hipótese nenhuma, que seja aprovada a CPMF e que seja aprovado qualquer encargo, qualquer imposto, qualquer taxa em cima da sociedade brasileira que já paga muito e recebe pouca coisa em troca”, disse.

Skaf, que é do PMDB, reuniu-se com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e participa ainda de outra reunião com um colega de partido, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele pede aos congressistas para barrar a medida.

Aprenda a investir na bolsa

Nos últimos dias, Renan mostrou-se favorável a aprovar o pacote de ajustes, afirmando que o governo mostrou com o recente anúncio que está deixando a imobilidade. Por outro lado, Cunha disse que é contra a volta da CPMF e que ela dificilmente será aprovada no Parlamento, mas que não irá barrá-la. Ontem, o presidente da Câmara fez declarações polêmicas, dizendo que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, não deve culpar o Congresso por sua própria falta de competência.  

Antes do encontro, Calheiros disse à Folha que ainda não é possível sentir a “temperatura exata” da reação do Congresso à possível aprovação da proposta porque o Legislativo tem uma “resistência histórica” a aumentar impostos.