Votações do pré-sal na Câmara são adiadas para depois das eleições

Segundo Cândido Vaccarezza, número de deputados governistas foi insuficiente para fazer frente à obstrução oposicionista

SÃO PAULO – Foi adiada novamente a votação do projeto que trata da criação do Fundo Social e institui o regime da partilha para a exploração do petróleo no pré-sal. Segundo o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza, com a ausência de muitos deputados devido ao período eleitoral, o projeto agora só será votado após as eleições.

Vaccarezza afirmou nesta terça-feira (6) que seriam necessários 300 deputados da base governista para fazer frente à obstrução da oposição. Porém, segundo os cálculos do próprio deputado, só haviam 247 deputados em toda a casa. “Retiramos a discussão do pré-sal. A oposição não quer votar o sistema de partilha e promete obstruir todas as votações”, justificou à Agência Brasil. 

Sobre o atraso na votação do pré-sal, o líder governista descartou a possibilidade de prejuízos, já que o próximo leilão da área de exploração do pré-sal deve acontecer somente no ano que vem e, até lá, haverá tempo para concluir a votação do projeto e sancioná-lo.

PUBLICIDADE

Petro-Sal na pauta da semana
Segundo o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, o projeto de lei que cria a Petro-Sal deve ser votado ainda nesta semana, pelo Senado. Após reunião com o líder governista, Romero Jucá, Padilha afirmou que há um acordo firmado com a oposição para garantir a votação da matéria.