Estímulos

Viabilidade prática é questão de medidas do governo, diz Steinbruch

Presidente da CSN destaca que proposta é boa, mas que ainda há o que fazer para animar o empresário brasileiro

(Divulgação)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente da CSN (CSNA3), Benjamin Steinbruch, comentou as medidas de estímulo anunciadas nesta quarta-feira (15) pelo governo, que buscam elevar em R$ 133 bilhões os investimentos em ferrovias e rodovias nos próximos anos. De acordo com matéria publicada pela Bloomberg, Steinbruch afirmou que a questão agora é a viabilidade prática e de ter acesso aos recursos nas condições de prazo e custo.

“O que anima empresário é a certeza do retorno. É preciso ter previsibilidade, estabilidade, custo adequado e disponibilidade de recursos”, reforça Steinbruch, ressaltando que o modelo de PPP (Parceria Público-Privada) pode ter funcionamento e ajudar bastante. 

Entretanto, o presidente da CSN ressalta que a confiança do investidor não está existindo, mesmo com o câmbio valorizado e o juro mais baixo, o que leva a menores investimentos. Além disso, apesar de positivas, as medidas estão atrasadas, ressaltando também a importância do barateamento do crédito através de juros menores. 

Aprenda a investir na bolsa

“Queremos juros mais baixos. Não adianta baixar o juro nominal e na ponta não funcionar assim. Banco do Brasil e Caixa, sozinhos, não conseguem fazer todo o trabalho”, disse. “Desoneração é fundamental. O Brasil é um país caro”, completa Steinbruch.

Por fim, o presidente da CSN ressaltou a importância de um barateamento maior da energia, ressaltando que ela continua muito cara mesmo com quedas entre 10% a 20%, em meio às discussões sobre revisão tarifária no governo. “Tarifa de energia no Brasil é 2,5 vezes maior que nos Estados Unidos. No gás, a tarifa é quatro vezes maior que a americana”, ressaltou. 

Veja mais: CSN reporta prejuízo de R$ 1 bilhão no segundo trimestre de 2012