Venizelos assume partido socialista grego e tenta reconquistar popularidade

Ex-ministro de Finanças do país, ele agora tem a missão de reconstruir a legenda para brigar pelo poder em eleição antecipada

SÃO PAULO – Ganhando a missão de reconstruir o partido em meio ao descontentamento da população, Evangelos Venizelos foi eleito presidente do Pasok, legenda socialista mais forte da Grécia. Nesta segunda-feira (19), ele deve abandonar seu cargo de ministro de Finanças do país.

Os líderes do grupo político se encontram em um momento difícil, com a popularidade caindo a níveis só vistos antes de o Pasok conseguir subir ao poder, em 1974. A aprovação do povo sobre os esquerdistas está em torno de 10%, e, na hora de discursar sobre seu novo posto, Venizelos disse que esse era o início de uma “nova era”.

Reestruturação ajuda
Um dos feitos mais marcantes do ex-ministro, que concorrerá às eleições que devem ser realizadas entre o final de abril e início de maio, é o programa de reestruturação da dívida grega. Ele conseguiu cortar mais da metade das obrigações de € 206 bilhões junto ao setor privado, antes do vencimento de papéis no valor de € 14,5 bilhões nesta terça-feira (20), em troca de impopulares medidas de austeridade fiscal.

PUBLICIDADE

Assim, extremistas e outros grupos de esquerda começam a ganhar força, e talvez só as alterações nos títulos públicos não sejam suficiente para a legenda assegurar a eleição. Vale lembrar que uma força tarefa da troika – grupo que reúne FMI, BCE (Banco Central Europeu) e Comissão Europeia – está instalada em Atenas para acompanhar as reformas da economia, em meio a um cenário de insatisfação pelos elevados cortes de salários e de benefícios aos cidadãos.