Crise

Venezuela ficará sem insumos para fazer medicamentos a menos que pague dívida

Câmara da Indústria Farmacêutica do país alerta para crise dos insumos para fabricar remédios no país

SÃO PAULO – A crise econômica venezuelana, agravada pela queda dos preços do petróleo desde 2014, já contamina também a produção de medicamentos. Segundo informações da agência de notícias AFP, a Câmara da Indústria Farmacêutica do país alertou que os insumos para se fabricar remédios se esgotarão este mês a menos que o governo liquide uma dívida de US$ 657 milhões com fornecedores internacionais. 

Contra o desabastecimento que atinge 80% para analgésicos, antibióticos, anticoncepcionais e hipertensivos, a oposição aprovou no Congresso venezuelano uma “lei especial para atender a crise humanitária de saúde”. Contudo, o presidente do país, Nicolás Maduro, criticou a aprovação por considerá-la parte de uma estratégia para desprestigiar e desestabilizar o seu governo. 

A gestão de Maduro anunciou ter distribuído 18,7 milhões de medicamentos e assinado um convênio de importação com Cuba, mas algumas associações civis declararam não ser o suficiente. 

PUBLICIDADE

Especiais InfoMoney:

Carteira InfoMoney rende 17% no 1º trimestre; CLIQUE AQUI e baixe!

Trader que perdeu R$ 285.000 com Telebras conta como deu a volta por cima

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa