Venezuela e Equador entram em crise com a Colômbia, após morte de guerrilheiro

Chávez e Correa acusam governo de Uribe de violar soberania equatoriana e mobilizam tropas na fronteira

SÃO PAULO – A Venezuela mobilizou tropas e retirou embaixador da Colômbia, em resposta a uma operação militar deste país contra guerrilheiros das Farc em território equatoriano.

O governo de Hugo Chávez declarou apoio à queixa de violação da soberania do Equador pela Colômbia, em ação que matou o líder opositor Raúl Reyes. Contudo a resposta do governo do presidente Álvaro Uribe, acusando o governo equatoriano de apoiar operações das Farc, acirrou as tensões entre os países.

Venezuela e Equador anunciaram a movimentação de tropas em direção à fronteira com a Colômbia, ao passo em que retiram seus embaixadores em Bogotá. Os temores de que a crise diplomática amplie-se aumentaram após declarações do presidente Chávez contra o que considerou violação do direito internacional.

Política x ajuda humanitária

PUBLICIDADE

As disputas ocorrem após a libertação de vários reféns das Farc intermediadas por Chávez. O processo vai de encontro à postura do governo Uribe, que não aceita negociar com o grupo guerrilheiro, classificado por seu governo como terrorista.

Os problemas políticos entre Venezuela e Colômbia têm sido freqüentes nos últimos anos, em função das duras críticas de Hugo Chávez ao apoio político e militar dos Estados Unidos à Colômbia, que classifica como “imperialista”.