Ministro na corda bamba

Vélez diz que não entregará o cargo após Bolsonaro sinalizar demissão já na segunda-feira

O ministro disse, ainda, que não falou com o presidente sobre o assunto

SÃO PAULO – O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, disse nesta sexta (5) em Campos do Jordão, onde participa do fórum empresarial Lide, que não vai entregar o cargo.

A declaração foi dada após o presidente Jair Bolsonaro indicar que pode demiti-lo na segunda-feira. O ministro disse, ainda, que não falou com Bolsonaro.

Na manhã de hoje, em café da manhã com jornalistas, o presidente afirmou que “está bastante claro que não está dando certo” o trabalho de Vélez no Ministério da Educação. Para ele, “está faltando gestão” no ministério. “Segunda-feira vai ser o dia do ‘fico ou não fico'”, disse ele. “Na segunda tira a aliança da mão direita e, ou vai para a esquerda ou vai para a gaveta”, disse Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Ao ser questionado sobre a sua saída, Vélez disse que “agora não” e, sobre a declaração de o presidente, disse que não tinha sido informado. “Eu, pessoalmente, não tenho notícia disso. Pergunta a quem é de direito, quem falou isso. Eu pretendo participar do fórum e não vou entregar o cargo”, afirmou.

O Ministério da Educação vive uma crise desde a metade de janeiro entre falas polêmicas do ministro, decisões que foram revertidas e diversas demissões (principalmente com relação à secretaria executiva, o segundo cargo mais importante do ministério). 

Garanta uma aposentadoria confortável investindo. Abra uma conta gratuita na XP