Câmara

Veja a lista dos 70 aliados que votaram contra o governo na urgência da reforma trabalhista

Além de ausências importantes na votação, que poderiam ter garantido a vitória ao governo, um mapeamento de como votaram os deputados mostra que houve significativa infidelidade na base aliada

SÃO PAULO – Antes de enfim conseguir superar as obstruções da oposição e a rebeldia de parte da base aliada para aprovar o projeto de lei complementar que estabelece contrapartidas para o socorro a unidades da Federação endividadas pela União, o governo sofreu uma derrota importante na noite da última terça-feira (19), na Câmara dos Deputados. Aliados do presidente Michel Temer tentaram aprovar tramitação em regime de urgência para o projeto de reforma trabalhista, o que daria mais celeridade ao texto, mas fracassaram.

Em plenário, o requerimento de número 6.281/17 teve 230 votos favoráveis e 163 contrários, placar insuficiente visto que esse tipo de mecanismo exige quórum de maioria absoluta (metade da casa mais um deputado, ou seja, 257 parlamentares). Além de ausências importantes na votação, que poderiam ter garantido a vitória ao governo, um mapeamento de como votaram os deputados mostra que houve significativa infidelidade na base aliada.

Entre os 164 parlamentares que votaram contra — ou se abstiveram, no caso de um deputado — o requerimento que pedia a urgência para a tramitação do projeto, 70 pertencem a um partido da base aliada. Dentre os 395 deputados presentes na sessão, 299 pertenciam a bancadas governistas, ao passo que apenas 83 eram opositores e o restante, de partidos considerados independentes.

PUBLICIDADE

A seguir, a lista de deputados membros da base aliada, presentes na sessão, e que votaram contra o requerimento. Vale ressaltar que a lista não contempla os parlamentares ausentes, que também acabaram prejudicando o atendimento aos interesses do governo — neste caso, não necessariamente representando afronta tão clara quanto o voto contrário.

(Para saber como votou cada deputado, clique aqui).

PMDB (8)
Alexandre Serfiotis (RJ)
Fabio Reis (SE)
João Arruda (PR)
Kaio Maniçoba (PE)
Sergio Zveiter (RJ)
Veneziano Vital do Rêgo (PB)
Vitor Valim (CE)
Walter Alves (RN)

PP (4)
Beto Salame (PA)
Dimas Fabiano (MG)
Mário Negromonte Jr (BA)
Waldir Maranhão (MA)

PPS (1)
Arnaldo Jordy (PA)

PR (9)
Brunny (MG)
Cabo Sabino (CE)
Christiane de Souza Yared (PR)
Delegado Waldir (GO)
Luiz Cláudio (RO)
Silas Freire (PI)
Tiririca (SP)
Wellington Roberto (PB)
Zenaide Maia (RN)

PUBLICIDADE

PRB (4)
Jhonatan de Jesus (RR)
Jony Marcos (SE)
Lincoln Portela (MG)
Ronaldo Martins (CE)

PSB (19)
Bebeto (BA)
César Messias (AC)
Creuza Pereira (PE)
Danilo Cabral (PE)
Flavinho (SP)
George Hilton (MG)
Gonzaga Patriota (PE)
Heitor Schuch (RS)
Hugo Leal (RJ)
Janete Capiberibe (AP)
Jose Stédile (RS)
Júlio Delgado (MG)
Keiko Ota (SP)
Leopoldo Meyer (PR)
Luciano Ducci (PR)
Severino Ninho (PE)
Tadeu Alencar (PE)
Tenente Lúcio (MG)
Valadares Filho (SE)

PSC (2)
Irmão Lazaro (BA)
Professor Victório Galli (MT)

PSD (5)
Danrlei de Deus Hinterholz (RS)
Expedito Netto (RO)
Fábio Mitidieri (SE)
Marcos Reategui (AP)
Victor Mendes (MA)

PSDB (3)
Geovania de Sá (SC)
Izaque Silva (SP) – abstenção
Pedro Cunha Lima (PB)

PTB (1)
Zeca Cavalcanti (PE)

PTN (5)
Ademir Camilo (MG)
Bacelar (BA)
Dr. Sinval Malheiros (SP)
Ezequiel Teixeira (RJ)
Luiz Carlos Ramos (RJ)

Solidariedade (9)
Aureo (RJ)
Carlos Manato (ES)
Delegado Francischini (PR)
Laudivio Carvalho (MG)
Lucas Vergilio (GO)
Major Olimpio (SP)
Paulo Pereira da Silva (SP)
Wladimir Costa (PA)
Zé Silva (MG)