TSE irá descartar urnas eletrônicas antigas de forma ecológica

TSE contratou empresa para reciclar as primeiras urnas eletrônicas, usadas nas eleições de 1996

SÃO PAULO – O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) irá descartar, de forma ecologicamente correta, urnas eletrônicas que foram usadas nas eleições de 1996 a 2004 e que já não atendem mais ao processo eleitoral, segundo divulgou o órgão.

Essa será a primeira vez que urnas eletrônicas serão descartadas e, para fazer isso, foi contratada uma empresa especializada em reciclagem. Os equipamentos em questão foram os primeiros fabricados para votação eletrônica e usados em 1996. Com as atualizações e a evolução da tecnologia, essas urnas se tornaram inúteis para o processo eleitoral.

Material sem uso

No total, 59.233 urnas, do modelo UE96, além de outros materiais como disquetes e bobinas de papel não utilizáveis ou com o prazo de validade vencido, serão descartadas. O material soma 800 toneladas de sucata eletrônica.

PUBLICIDADE

O processo para descarte e reciclagem do material teve início com a Resolução 22.709, aprovada pelos ministros em fevereiro do ano passado. O programa foi acompanhado pela Coordenadoria de Logística do TSE e pela Comissão da Agenda Ambiental, que buscaram uma solução para o descarte do material que envolve lixo tecnológico altamente nocivo ao meio ambiente.