TSE autoriza sete novas seções eleitorais no Japão

Brasileiros que vivem no Japão terão mais facilidade para votar nas eleições deste ano, já que votação não será possível apenas nos consulados e embaixada

SÃO PAULO – Há quem não goste do voto obrigatório no Brasil, e vai às urnas a contragosto todo ano eleitoral. Para os brasileiros que estão fora do País, o interesse muitas vezes é ainda menor, afinal estão distanciados da realidade do País.

Mas, como esse ano haverá eleições presidenciais, até mesmo quem está fora do País deverá votar. Na maioria dos países as zonas eleitorais são organizadas nas embaixadas e consulados.

No Japão, contudo, uma novidade: representantes da comunidade brasileira no Japão solicitaram ao Ministério das Relações Exteriores, a adoção de novas seções eleitorais. O pedido foi atendido.

Mais comodidade para votar

No Japão, país que conta com 286 mil brasileiros, o Cartório Eleitoral do Exterior (CEE) planeja a instalação de sete seções eleitorais extras.

As seções serão instaladas nas cidades de Hamamatsu (Província de Shizuoka), Toyohashi (Província de Aichi), Suzuka (Província de Mie), Takaoka (Província de Toyama), Ueda (Província de Nagano), Oizumi (Província de Gunma) e Mitsukaido (Provínica de Ibaraki).

Segundo a Embaixada do Brasil em Tóquio, esses locais concentram um grande número de brasileiros, e, por serem estratégicos, facilitam o acesso de mais eleitores às seções. Em 2002, ano da última votação para presidente, 549 pessoas radicadas no país se registraram para votar.