Comparações

Trump repete Hitler? Perfil do NYT mostra semelhança entre o magnata e o ditador

A mídia e até o presidente do México compararam os dois e um perfil do New York Times de 1922 mostra que os dois são muito parecidos

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Desde que entrou na disputa republicana pela presidência, o magnata Donald Trump chama atenção com seu discurso de ódio e de nacionalismo, como seu slogan mostra: “Makes America Great Again” (“Fazer a América Grande Novamente”, em tradução). Isso tem feito muitas pessoas criticarem o republicano e com direito a algumas comparações com Adolf Hitler e seu discurso que foi o responsável pelas guerras mundiais.

Para se ter uma noção da semelhança de discursos, o jornal The New York Times relembrou na semana passada um perfil feito pela publicação em 1922 sobre o ditador alemão e mostrou como trocando apenas algumas palavras o texto iria parecer como sendo sobre o magnata republicano.

Por exemplo, o trecho em que fala sobre o ódio aos “judeus, os comunistas, os bolcheviques, o socialismo marxista, os separatistas” seria possível trocar por muçulmanos, mexicanos, imigrantes sem documentos e os que se manifestam em comícios de campanha. Podia trocar-se Hilter por Trump na frase “o programa de Hitler tem menos interesse do que a sua personalidade e movimentos” e estaria normal.

Nesse perfil de Hitler de 94 anos, é ressaltado o seu “raro dom oratório que fascina audiências independentemente da sua orientação política ou credo religioso”. “O seu método é simples: primeiro, propaganda, segundo, organização eficiente”, lê-se ainda. “Ele conduz pessoalmente encontros de revivalismo patriótico com esse propósito”. Qualquer semelhança com Trump é (ou não) mera coincidência. 

O que mais preocupa é o fato de no perfil de Hitler, o NYT não ter demonstrado tanta preocupação (e o tempo nos mostra que isso foi errado), enquanto hoje Trump também não é tratado com tamanha desconfiança, sendo mais considerado motivo de piada. Em suas memórias, publicadas em 1987 sob o título “Art of the Deal”, Trump escreveu que brinca “com as fantasias das pessoas” e que “as pessoas podem nem sempre pensar em grande, mas ainda assim podem ficar muito entusiasmadas com aqueles que o fazem. É por isso que uma pequena hipérbole não magoa ninguém”. Até nisso o magnata consegue ser parecido com o Hitler.

Para conferir o perfil do ditador feito em 1922, em inglês, clique aqui.

Acusações
Nos últimos dias, o presidente do México, Enrique Peña Nieto, comparou as falas de Trump com Hitler e também com Benito Mussolini. “Já houve episódios da história da humanidade, lamentavelmente, onde estas expressões (de Trump), esta retórica estridente, só levou a cenários fatídicos dentro da história da humanidade”, disse o mexicano.

“Assim chegou Hitler e assim chegou Mussolini: aproveitaram justamente um contexto de um problema que a humanidade vivia à época, após uma crise econômica. E isso levou ao que hoje sabemos pela história, a uma conflagração mundial”, afirmou Nieto, em entrevista ao jornal Excelsior.

Após meses de comparações, Trump finalmente fez uma declaração sobre o assunto. Ele afirmou em entrevista à ABC News que considera a comparação feita entre sua campanha e a dos ditadores “terrível”. Apesar de ter afirmado não ter tido conhecimento sobre as alegações, o bilionário disse que não gosta nem um pouco delas. “Eu não quero que essas comparações sejam feitas”, afirmou.

PUBLICIDADE

Vale lembrar ainda que, durante a campanha, Trump chegou a pedir que seus apoiadores levantassem as mãos para saudá-lo, sinal que foi comparado aos gestos típicos de apoio a Hitler durante o nazismo.