Críticas ao presidente

“Trump não tem compreensão do que significa ser presidente”, diz The Economist

Publicação britânica fez duras críticas ao presidente norte-americano

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em matéria de capa da edição desta semana, a publicação britânica The Economist faz duras críticas ao presidente dos EUA, Donald Trump e, logo no título, diz que “Trump não tem compreensão do que significa ser presidente”. A revista faz muitas críticas a como o presidente americano reagiu aos protestos violentos em Charlottesville, no estado da Virginia. Na semana passada, houve confrontos entre integrantes da supremacia branca e grupos antiextremistas e Trump afirmou nesta semana que havia culpa nos dois lados, mudando o tom após condenar os grupos supremacistas. 

De acordo com a The Economist, Trump não é um supremacista branco, mas a sua resposta instável contém uma mensagem terrível para os americanos. “Longe de ser o salvador da República, o presidente é politicamente inepto, moralmente estéril e temperamentalmente impróprio para o cargo”, afirma a publicação.

A The Economist ainda questiona se valeria a pena para os republicanos manter apoio a um “outsider” na política que tem mostrado inaptidão ao cargo.  “Para os republicanos no Congresso, a escolha deveria ser mais clara. Muitos prenderam a respiração e apoiaram Trump porque pensavam que ele poderia fazer com que a agenda [do partido] avançasse. Mas tal acerto não compensou. O sr. Trump não é um republicano, mas a única estrela de seu próprio drama. Ao associar o seu destino ao dele, estão prejudicando o país e o próprio partido”, destaca a revista. 

PUBLICIDADE

De acordo com a publicação, as tentativas de Trump falar de forma simples e direta são grosseiras e servem apenas para “envenenar a vida do país”.

Além disso, de acordo com a revista, quaisquer ganhos em termos de reforma econômica – e o mercado de ações em expansão e o baixo desemprego se devem mais à economia global, às empresas de tecnologia e à fraqueza do dólar do que a Trum´p, diz a publicação – virão a um preço inaceitável. 

Nesse cenário, aponta a publicação, os republicanos têm algumas opções na mesa. “Eles podem gerar obstáculos a Trump, se assim escolherem. Em vez de serem condescendentes com seus ultrajes na esperança de que algo bom possa sair daí, eles devem condená-los. Os melhores dentre eles assim o fizeram nesta semana. Outros precisam acompanhá-los”, ressalta a publicação.