Perspectivas

Trump inaugura “nova era” nos EUA em semana com 7 grandes eventos; veja o que esperar

Em semana recheada de eventos e indicadores, posse do novo presidente dos EUA irá dominar o noticiário e guiará o humor dos investidores

SÃO PAULO – A terceira semana do ano terá alguns indicadores e eventos no Brasil e no exterior, mas o que torna este período a semana mais aguardada do ano é a posse de Donald Trump, que ocorre na próxima sexta-feira (20). Se o evento por si só já deixaria o mercado tenso, a tensão deixada pelo republicano em sua primeira coletiva nesta semana só reforça a expectativa de que os investidores deverão ver muita volatilidade no mercado.

Ainda antes da posse de Trump, o mercado ficará de olho no Fórum Econômico de Davos, que começa na terça-feira (17), onde representantes de diversos países deverão conversar, com a expectativa de que alguns acordos comerciais possam ser fechados. Entre os indicadores, a semana terá dados na China, com destaque para o PIB (Produto Interno Bruto) do quarto trimestre, além da reunião do BCE (Banco Central Europeu), enquanto no Brasil será divulgado o IPCA-15.

Mas o que promete guiar o mercado será o humor do investidor estrangeiro diante da posse de Donald Trump. Nos Estados Unidos, a semana começa com os mercados fechados por conta do feriado do Dia de Martin Luther King, deixando toda a tensão dos investidores resumidas a quatro dias de negócios. Para Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset, o “ponto de virada” não será exatamente a posse, mas é este evento que marca o início de um período incerto, onde é difícil fazer qualquer projeção.

PUBLICIDADE

“Estamos vendo o temor ganhando realidade. Por algum motivo, os mercados performaram bem com a vitória de Trump, mas não sabemos o que acontecerá a partir de agora”, diz Vieira. O evento em si não deverá trazer nada de novo, sendo que Trump não terá oportunidade para falar muito sobre o que fará efetivamente. Mas a partir da posse, especialistas não sabem o que poderá ocorrer.

No mesmo dia, ou mesmo durante o próximo fim de semana, o presidente americano poderá anunciar alguma medida ou mesmo fazer novos comentários no Twitter – ferramenta que ele tem usado para falar sobre o que irá fazer. “Podemos até ver Trump falar mais alguma coisa antes da posse. É imprevisível”, lembra o economista. Segundo ele, falta alguma sinalização do próprio republicano sobre o que ele irá fazer.

Na última quarta-feira (11), Trump fez sua primeira coletiva de imprensa, mas decepcionou o mercado ao deixar de falar sobre temas importantes, como as medidas de infraestrutura, um dos principais pontos e que tem feito especialistas projetarem uma melhora da economia norte-americana. “Ainda estamos vendo o Trump da campanha, e não sabemos o que esperar do Trump presidente”, diz Vieira. “Vamos precisar esperar para ver, mas neste momento é difícil até fazer projeções sobre os EUA”, completa.

Confira os principais eventos da próxima semana:

Feriado nos EUA
Na segunda-feira (16), as bolsas norte-americanas ficarão fechadas por conta do feriado de Dia de Martin Luther King. Com isso, o mercado brasileiro deverá ter uma sessão de volume reduzido, sem a “referência” dos EUA.

Fórum Econômico de Davos
Começa na terça-feira (17) o Fórum Econômico de Davos. Para Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset, o evento não deverá ter nada de concreto, mas será um primeiro passo para acordos entre países, incluindo o Brasil. De acordo com o Ministério da Fazenda, Henrique Meirelles chegará à Suíça no domingo e terá reuniões bilaterias com presidentes de bancos, de multinacionais e autoridades de Argentina, Suíça e Arábia Saudita.

PUBLICIDADE

Ata do Copom
Ainda na terça-feira, às 8h30, será divulgada a ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), que surpreendeu o mercado com um corte de 75 pontos-base na Selic, que agora está em 13% ao ano. O documento poderá trazer mais sinalizações sobre os próximos passos do Banco Central, enquanto o mercado já começa a projetar que a autoridade manterá o mesmo ritmo de redução no encontro de fevereiro.

IPCA-15
Na quinta-feira (19), às 9h (horário de Brasília), será apresentado o IPCA-15, uma espécie de prévia da inflação do país. A equipe de Rosenberg Associados espera uma variação de 0,43%, ficando acima dos 0,19% registrado no mês anterior. “Com isso, o IPCA deve manter a tendência de desaceleração na comparação em doze meses, com a taxa passando de 6,6% para 6,1% nesta leitura”, disseram em relatório.

Reunião do BCE
Às 10h45 da quinta-feira será divulgada a decisão do Banco Central Europeu, que deve manter a taxa de juros da região. Por outro lado, o mercado deve ficar atento ao comunicado, que poderá trazer novidades sobre o programa de estímulos a economia da autoridade europeia.

PIB da China
Já na sexta-feira (20), durante a madrugada, será divulgado o PIB da China referente ao ano de 2016, junto com outros índices de atividade. A expectativa do mercado é de manutenção do atual ritmo de crescimento, com variação de 6,7%.

Posse de Donald Trump
Por fim, o principal evento da semana. Às 14h (horário de Brasília), terá início o evento de posse do novo presidente dos EUA, Donald Trump. A expectativa é que toda a solenidade termine apenas às 20h, quando o republicano chegará na Casa Branca em carro oficial. O evento contará com um discurso oficial, mas que não deve trazer grandes novidades, com Trump falando mais sobre sua visão do momento atual e sobre o futuro, sem muito espaço para comentar possíveis medidas a serem adotadas. Para Vieira, o evento não será um “ponto de virada”, mas marcará um novo momento, ainda bastante imprevisível para a economia dos EUA.