Presidente dos EUA

Trump diz que vacina contra o coronavírus pode chegar antes do dia 3 de novembro

Fala do presidente americano contradiz os próprios especialistas de saúde do governo americano, que não estimam uma data para a vacina

(Win McNamee/Getty Images)

SÃO PAULO – Donald Trump, presidente dos EUA, disse nesta quinta-feira (6) que é possível que os Estados Unidos tenham uma vacina pronta contra o coronavírus antes da eleição presidencial do país, marcadas para 3 de novembro – uma previsão mais otimista do que o tempo estabelecido próprios especialistas em saúde da Casa Branca.

Em um programa de rádio, após ser questionado sobre a data em que uma vacina pode estar pronta, Trump disse: “Sairá mais cedo do que o final do ano”.

“Antes de 3 de novembro?”, questionou o jornalista, em referencia direta à data da eleição presidencial. “Eu acho que, em alguns casos, sim, é possível antes, mas deve chegar nessa época”, disse Trump.

PUBLICIDADE

Trump busca a reeleição para um segundo mandato em meio a uma economia paralisada por conta das medidas de restrição impostas para mitigar a propagação do coronavírus.

Anthony Fauci, o principal especialista em doenças infecciosas do governo dos EUA, em uma entrevista à agência de notícias Reuters na última quarta-feira (5), compartilhou uma visão um pouco mais conservadora sobre uma possível vacina, dizendo haver uma indicação de que pelo menos uma vacina funcione e esteja segura até o final do ano, mas sem citar datas específicas.

Na mesma entrevista, o cientista também ​assegurou que não há pressão para entregar uma vacina até novembro, antes das eleições presidenciais – o que contradiz a fala do presidente americano.

Trump diz estar otimista com a recuperação econômica dos EUA quando a vacina for disponibilizada. “Vamos tomar vacinas muito em breve, vamos ter tratamentos disponíveis muito em breve”, disse ele ao programa de rádio.

Eleições adiadas?

Na última semana, Trump sugeriu, por meio de sua conta oficial no Twitter, o adiamento das eleições presidenciais do país. De acordo com ele, o coronavírus e a votação por correio ameaçam provocar fraudes no processo.

Porém, o presidente, sozinho, não pode adiar as eleições, sendo necessária a autorização do Congresso americano.

Newsletter InfoMoney – Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

PUBLICIDADE