Rejeitado

Tribunal nega pedido de Lula para anular decisão de Moro sobre bloqueios de bens

Foram bloqueados mais de R$ 600 mil de contas bancárias e R$ 9 milhões que estavam depositados em dois planos de previdência privada

SÃO PAULO – O desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) negou nesta terça-feira (25) o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que fosse anulada a decisão do juiz federal Sérgio Moro de bloquear os bens do petista.

Foram bloqueados mais de R$ 600 mil de contas bancárias e R$ 9 milhões que estavam depositados em dois planos de previdência privada. A defesa de Lula entrou com mandados de segurança na última quinta-feira (20) para tentar reverter a decisão, dizendo que o bloqueio é “ilegal e abusivo”.

Moro afirmou que o bloqueio de bens serve para garantir “a reparação dos danos decorrentes do crime”. O magistrado condenou Lula a 9 anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo da Lava Jato envolvendo o triplex no Guarujá.

PUBLICIDADE