Lava Jato

Tribunal da Espanha rejeita extradição ao Brasil de procurado pela Lava Jato

A Corte disse que aplicaria o princípio de reciprocidade, porque o Brasil busca a extradição do espanhol apesar de não entregar seus próprios cidadãos quando procurados por outros países

(Bloomberg) – A Corte Nacional da Espanha rejeitou a extradição do espanhol Rodrigo Tacla Duran ao Brasil, onde é procurado pela Lava Jato, segundo comunicado da justiça enviado por e-mail nesta sexta-feira.

A Corte disse que aplicaria o princípio de reciprocidade, porque o Brasil busca a extradição do espanhol apesar de não entregar seus próprios cidadãos quando procurados por outros países. Tacla Duran, que também tem nacionalidade brasileira, é acusado de organizar uma empresa de lavagem de dinheiro; decisão significa que ele pode responder os processos na Espanha, caso a medida seja solicitada pelas autoridades brasileiras.

O espanhol ajudou a fazer pagamentos e escondeu lucros como
“operador financeiro” no esquema de corrupção centrado na
Petrobras. 

Esta matéria foi publicada em tempo realapara assinantes do serviço BloombergaProfessional.

PUBLICIDADE