Nova equipe

“Time dos sonhos assume no lugar de nova matriz”; confira perfil da equipe econômica

Ministro da Fazenda indiciou nome de Ilan Goldfajn para a presidência do Banco Central, além de Marcelo Caetano, Mansueto Almeida e Carlos Hamilton para secretarias da Fazenda

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciou hoje (17) nomes para a equipe econômica. O economista Ilan Goldfajn foi indicado para a presidência do Banco Central, enquanto Marcelo Caetano, Mansueto Almeida e Carlos Hamilton foram indicados para secretarias da Fazenda; Tarcisio Godoy já havia sido anunciado na sexta-feira como secretário-executivo do ministério. Além disso, Jorge Rachid e Otávio Ladeira permanecerão em seus cargos.

Em relatório em que destaque que o “Time dos Sonhos” assume no lugar da nova matriz econômica, o economista do Goldman Sachs, Alberto Ramos, destaca que as nomeações de hoje trazem para a administração do governo interino de Michel Temer uma equipe de tecnocratas respeitados com experiência muito rica e valiosa tanto no setor público quanto no setor privado. “Isso deve permitir que o governo estabeleça uma mudança de regime claro em termos de orientação macroeconômica, após o experimento com a nova ‘matriz econômica’, de orientação mais intervencionista da administração anterior”.

“Além disso, a nova equipe econômica deve mostrar forte afinidade e homogeneidade em termos de pensamento e de política econômica. Isso também deve ajudar a aumentar a eficácia das políticas e reforçar a sinalização política”. Para Ramos, no geral, esta é uma equipe tecnocrata de alto calibre. No entanto, a eficácia da nova equipe econômica dependerá do grau de apoio político e da capacidade da administração de Temer para construir pontes e garantir o apoio necessário no Congresso.

Aprenda a investir na bolsa

Confira o perfil da equipe econômica anunciada hoje por Meirelles:

Ilan Goldfajn 
O economista Ilan Goldfajn foi indicado para a presidência do Banco Central e irá coordenar a política monetária e cambial do Brasil. Ilan possui experiência no setor público: exerceu o cargo de diretor de Política Econômica do BC, entre 2000 e 2003, na gestão de Armínio Fraga. Goldfajn assumirá o cargo após passar por sabatina no Senado.

No seu histórico profissional também está a diretoria do Centro de Debates de Políticas Públicas. Foi também diretor do Instituto de Ensino e Pesquisa em Economia da Casa das Garças, entre 2006 e 2009, sócio-fundador da Ciano Consultoria (2008 e 2009), sócio-fundador e gestor da Ciano Investimentos (2007-2008) e sócio da Gávea Investimentos (2003-2006), onde foi responsável pelas áreas de pesquisas macroeconômicas e análise de risco.

Goldfajn é economista, com mestrado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e doutorado pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT). Atuou como consultor de organizações internacionais (como Banco Mundial, Fundo Monetário Internacional e Nações Unidas), do governo brasileiro e do setor privado. Atualmente, Ilan é economista-chefe e sócio do Itaú Unibanco.

Mansueto Almeida
Mansueto Almeida é o  novo Secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda.  Mansueto é  formado em Economia pela Universidade Federal do Ceará e mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (USP). Cursou Doutorado em Políticas Públicas no MIT, Cambridge, nos Estados Unidos, mas não defendeu a tese. É funcionário licenciado do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

É técnico de Planejamento e Pesquisa do Instituto, tendo assumido os seguintes cargos em Brasília: coordenador-geral de Política Monetária e Financeira na Secretaria de Política Econômica no Ministério da Fazenda entre 1995 e1997, assessor da Comissão de Desenvolvimento Regional e de Turismo do Senado Federal, de 2005 a 2006 e assessor econômico do senador Tasso Jereissati.

PUBLICIDADE

Carlos Hamilton
O novo secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda é Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo. Ele é  doutor em economia pela Escola de Pós-Graduação da Fundação Getulio Vargas. Formado em engenharia civil  em 1989, pela Universidade Federal do Ceará, Carlos Hamilton já foi diretor de Política Econômica e também de Assuntos Internacionais do Banco Central (BC). Ele saiu do BC em fevereiro de 2015.

O novo secretário é funcionário licenciado do Banco Central, onde também já ocupou os cargos de chefe e de chefe adjunto do Departamento de Estudos e Pesquisas. Antes de assumir cargos no BC, Carlos Hamilton passou pela Secretaria do Tesouro Nacional e pelo Banco do Estado do Ceará, na função de analista. Ele também foi professor em cursos de graduação na Fundação Getulio Vargas e em cursos de graduação no Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais, no Rio. Antes de assumir a secretaria, Carlos Hamilton era executivo do grupo J&F, controlador da JBS.

Marcelo Caetano
A Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda será ocupada por Marcelo Abi-Ramia Caetano, que já trabalhou no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Ele irá tocar a reforma da Previdência que, no prazo de 30 dias, deverá ser enviada ao Congresso Nacional. Abi-Ramia Caetano é economista do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) desde 1997 e membro do Conselho Editorial doJournal of Social Policy, publicado pela Cambridge University Press. Ele concluiu a graduação em economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) no início dos anos 1990. Finalizou o doutorado em economia pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Iniciou a carreira profissional como professor de introdução à economia e de macroeconomia na Universidade Federal Fluminense (UFF) e PUC-RJ na metade dos anos 1990.

Entre 1998 e 2005, foi coordenador-geral de Atuária, Contabilidade e Estudos Técnicos do Ministério da Previdência Social. Em 2009, atuou como pesquisador visitante da London School of Economics (Reino Unido). Desde 1997, concentra seus trabalhos na área de Previdência Social, com diversos estudos publicados e várias entrevistas aos principais meios de comunicação sobre o tema.

Jorge Rachid, Otávio Ladeira e Tarcisio Godoy
Os secretários da Receita Federal, Jorge Rachid, e do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira, permanecem nos cargos. Rachid é funcionário de carreira da Receita Federal. Ele assumiu a Secretaria da Receita Federal (SRF) entre 2003 e 2008. Durante o período, exerceu, cumulativamente, o cargo de Secretário da Receita Previdenciária do Ministério da Previdência Social e de presidente do Conselho Diretor do Centro Interamericano de Administrações Tributárias. Foi na gestão de Rachid que houve a unificação das Receitas Previdenciária e Federal, conhecida como Super Receita. Em setembro de 2009 a setembro de 2013, foi para os Estados Unidos exercer o cargo de adido Tributário e Aduaneiro junto à Embaixada do Brasil em Washington. Desde 2014 integra o Comitê de Peritos sobre Cooperação Internacional em Matéria Tributária da Organização das Nações Unidas (ONU). Rachid voltou a assumir o cargo de Secretário da Receita Federal do Brasil em janeiro de 2015.

Otávio Ladeira é analista de Finanças e Controle Secretaria do Tesouro, onde fez a carreira.“Todos os que não têm substituto permanecem nos seus cargos. Faremos a avaliação constante desses cargos e nada impede que outras mudanças sejam anunciadas nos próximos dias, semanas ou meses. Pode inclusive ser a manutenção dos atuais membros ou ocupantes dos cargos”, destacou Meirelles.

Na última sexta-feira, Meirelles havia anunciado Tarcisio Godoy como secretário executivo da Fazenda. Godoy foi secretário do ex-ministro da Fazenda do governo Dilma Rousseff Joaquim Levy. 

(Com Agência Brasil)

PUBLICIDADE