Segundo Folha

Tida como “impossível”, PT e PMDB querem reduzir meta de superávit de Levy para 0,8%

A proposta em articulação prevê que o superávit primário passaria de 1,2% para 0,8% do PIB (Produto Interno Bruto), passando de R$ 66,3 bilhões para algo próximo de R$ 46 bilhões

SÃO PAULO – Segundo informações da Folha de S. Paulo, os congressistas do PMDB e do PT buscam uma forma de reduzir a meta fiscal fixada para este ano pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Isto poderia reduzir em até R$ 20 bilhões os cortes de despesas e aumentos de impostos que o governo da presidente Dilma Rousseff poderia levar. 

A proposta em articulação prevê que o superávit primário passaria de 1,2% para 0,8% do PIB (Produto Interno Bruto), passando de R$ 66,3 bilhões para algo próximo de R$ 46 bilhões.

“Para petistas e peemedebistas, o objetivo estabelecido por Joaquim Levy é impossível de realizar. O ceticismo é compartilhado pela maior parte dos analistas de mercado”, afirma. 

PUBLICIDADE

Porém, o Ministério da Fazenda ainda mostra resistência sobre reduzir o esforço fiscal. Desta forma, os integrantes da base política de Dilma querem alterá-la por meio de votação no Congresso Nacional. O plano é fazer a mudança por meio da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2016, que definirá os objetivos e prioridades da administração pública para o ano. 

Trata-se de uma “ameaça” que ainda não havia entrado no radar do Ministério da Fazenda, que se mostra contrário a qualquer mexida nesse sentido.