Ex-presidente

Temer vira réu no caso Joesley por tentativa de obstrução de Justiça

Ex-presidente da República ainda responderá por organização criminosa junto com os ex-ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco

SÃO PAULO – O ex-presidente da República, Michel Temer, tornou-se réu pela sexta vez nesta segunda-feira (6) após decisão do juiz Marcus Vinícius Reis Batos. Agora, ele responderá por organização criminosa junto com o ex-ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco e também por obstrução de Justiça. As informações são do G1. 

Essa denúncia se refere à acusação de que Temer estimulou o empresário Joesley Batista, ex-presidente da JBS, a comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ). A principal prova da denúncia é o áudio gravado de uma conversa entre Temer e Batista no Palácio do Jaburu em uma reunião fora da agenda oficial do ex-presidente da República.  

O processo foi inicialmente apresentado ao Supremo Tribunal Federal em 2017 pelo ex-procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, mas acabou sendo enviado no mês passado para a primeira instância. 

PUBLICIDADE

Temer foi preso no dia 21 de março pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro por ordem do juiz da 7ª Vara Federal do Rio, Marcelo Bretas, por supostamente integrar uma organização criminosa que atuou na construção da usina nuclear de Angra 3. No entanto, o ex-presidente foi solto após quatro noites na prisão por decisão do desembargador Antonio Ivan Athié do Tribunal Regional Federal da 2ª Região.