Análise

TCU vai investigar responsabilidade de Dilma por prejuízo bilionário na Petrobras

A decisão foi comunicada na quarta-feira pelo ministro relator José Múcio e implica uestionar a presidente por conta de prejuízos da ordem de R$ 2,8 bilhões da petrolífera, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – O TCU (Tribunal de Contas da União) irá analisar a responsabilidade da presidente Dilma Rousseff em relação às decisões que prejudicaram andamento de obras e levou à paralisação de refinarias da Petrobras (PETR3;PETR4) Premium I e Premium II quando a então ministra fazia parte do Conselho de Administração da estatal. Dilma presidiu o Conselho entre 2003 e 2010. 

A decisão foi comunicada na quarta-feira pelo ministro relator José Múcio e implica uestionar a presidente por conta de prejuízos da ordem de R$ 2,8 bilhões da petrolífera, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo. 

O órgão destacou que a primeira que o projeto de investimento nas refinarias Premium apareceu no plano de negócios da Petrobras foi no planejamento do período 2007-2011, quando Dilma presidia o Conselho.  O TCU no entanto não menciona nenhum nome dos integrantes do Conselho em seu processo.

PUBLICIDADE

Em 2014, a Petrobras registrou um prejuízo contábil a ordem R$ 2,8 bilhões em relação aos dois projetos previstos para serem erguidos no Maranhão (I) e no Ceará (II). 

Serão feitas auditorias que levarão em conta as audiências que serão feitas com integrantes da diretoria executiva da Petrobras e que foram apontados pelo TCU como responsáveis pelas perdas. Entre eles, a ex-gerente Venina Velosa, o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, o ex-diretor da área Internacional Jorge Zelada e o ex-gerente Pedro Barusco. 

 

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir:

 

Leia também:

PUBLICIDADE

Você investe pelo banco? Curso gratuito mostra como até dobrar o retorno de suas aplicações