Análise

Tabelamento de preços? Isso não funciona e quem vai pagar a conta é você, diz William Waack

Para Waack, governo está buscando fazer um tabelamento do diesel e do frete após a greve dos caminhoneiros

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Passa a greve dos caminhoneiros, agora as pessoas tentam analisar as consequência do acordo feito com o governo e também dos impactos na economia. E entre os pontos que mais preocupam, William Waack destaca nesta terça-feira (5) o chamado tabelamento de preços, algo que, segundo ele, não funciona.

“Se os mais jovens acreditam nisso, me perdoem, vocês vão passar pelo mesmo calvário que a minha geração passou acreditando que congelamento e tabelamento de preços funcionaria. Não funciona, e o governo vai tentar fazer isso com o diesel e vai tentar com o preço dos fretes, acreditem”, avalia.

Waack também comenta os efeitos econômicos deste cenário, ressaltando agora a disparada das ações da Petrobras no último pregão. Segundo ele, isso ocorreu porque o mercado percebeu que quem vai pagar a conta de uma eventual mudança na política de preços da estatal será o governo e, caso isso dê errado, o Tesouro irá cobrir as perdas.

PUBLICIDADE

“Quando a gente fala do Tesouro, a gente está falando do seu, do meu, do nosso dinheiro”, explica. “Portanto, iremos pagar o buraco da Petrobras para que o tabelamento de preços possa funcionar”, continua Waack.

Por fim, ele destaca o comentário feito por Paulo Guedes, economista que faz parte da equipe do pré-candidato Jair Bolsonaro e seria seu ministro da Fazenda em uma eventual vitória. Para o economista, é preciso resolver o problema na raiz, ou seja, os gastos públicos, já que o País gasta muito mais do que arrecada. Waack concorda com o diagnóstico, mas vê outra forma de resolver o problema.

Confira o comentário na íntegra: