Subordinada de Dilma Rousseff teria criado dossiê sobre gastos de FHC

Planalto nega dossiê, mas ministra admite existência de banco de dados; oposição cobra investigações

SÃO PAULO – Assessora de confiança de Dilma Rousseff teria ordenado a criação de um dossiê a respeito de gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, segundo a Folha de São Paulo.

O Planalto nega tratar-se de um dossiê, embora a ministra-chefe da Casa Civil tenha reconhecido a existência de um banco de dados a respeito de gastos gerais realizados com cartões corporativos de membros do governo FHC.

Banco de dados paralelo

Secretária-Executiva da Casa Civil, Erenice Guerra teria alegado a subordinados que o levantamento era necessário para atender a demandas da CPI dos Cartões.

Contudo, teria sido realizado paralelamente ao sistema oficial do Governo, o Suprim (Sistema de Controle de Suprimento de Fundos). Os dados incluíam também despesas da ex-primeira dama Ruth Cardoso e de ministros da gestão tucana.

Opositores, como o senador Arthur Virgílio, pressionam por explicações e investigação de dossiê, em meio a escândalo que pode estremecer a posição da titular da Casa Civil, citada por muitos como favorita do presidente Lula para a sucessão presidencial.