STF só deve julgar habeas corpus de Arruda na próxima semana, segundo ministro

Ministro Marco Aurélio Mello disse que plenário do STF só votará mérito após parecer da Procuradoria Geral da República

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Marco Aurélio Mello, disse que o plenário da Corte só deverá julgar o mérito do pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do governador José Roberto Arruda, do Distrito Federal, na próxima semana.

Segundo Mello, que já negou, em liminar, o recurso, só há condições de escrever seu relatório após o parecer da Procuradoria Geral da República. “Sem o parecer do procurador, não posso elaborar meu relatório e apresentar meu voto ao colegiado”, afirmou. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, indicou que o resultado não deve ser favorável à revogação da prisão preventiva de Arruda.

De acordo com Gurgel, “a posição do Ministério Público já é conhecida”, fazendo referência ao pedido de prisão de Arruda, investigado por envolvimento em um suposto esquema de corrupção, feito pela entidade ao STF. “São os mesmos motivos que levaram à decretação da prisão do governador: assegurar que a investigação possa prosseguir sem que testemunhas sejam corrompidas ou ameaçadas”, explicou.

PUBLICIDADE

Marco Aurélio Mello também disse que não mudaria sua posição. “É preciso que surja um fato novo que venha demonstrar que o governador não teve participação nessa tramoia toda”, alegou.

Investigações
Gurgel confirmou ainda que o Ministério Público está investigando suposto uso da Polícia Civil do Distrito Federal pelo governador local para monitorar o Ministério Público do Distrito, além da denúncia de esquema de arrecadação e distribuição de propina entre Arruda, deputados distritais e empresários. “Esta é mais uma linha lateral de investigação que pode servir para outra denúncia”, declarou o procurador.