Sem rodeios

“Sou contra a tese que defende o impeachment de Dilma e a volta dos militares”, afirma Alckmin

O tucano reforçou que a manifestação é um direito constitucional e evitou falar sobre a possibilidade de concorrer em uma chapa presidencial ao lado de Aécio em 2018.

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou mais cedo durante evento que reuniu líderes do PSDB e a militância em São Paulo que é favorável às manifestações que vem tomando as ruas após a corrida presidencial, mas pontuou que não concorda com algumas teses que vem sendo defendidas durante os protestos, como o pedido pela volta dos militares e do impeachment da petista. 

Para o governador reeleito, as manifestações devem ser encaradas como um direito constitucional. “Democracia é um valor da sociedade , são regras de convivência, dos contrários. Sou totalmente contra essas teses que ganharam as ruas e isso não tem repercussão na sociedade”, explicou. 

Indagado sobre a possibilidade de concorrer em uma chapa presidencial ao lado de Aécio Neves (PSDB), que foi derrotado nas urnas pela presidente Dilma Rousseff (PT), em 2018, Alckmin demonstrou cautela e evitou dar qualquer sinalização da viabilidade dessas hipóteses. “Ainda é cedo para falar disso, são quatro anos pela frente”, concluiu.

Aprenda a investir na bolsa