Sob forte expectativa e protestos, leilão da CTEEP será realizado nesta manhã

Até a noite da última terça-feira, cerca de 14 pedidos de liminar contra a realização do evento foram negados pela Justiça

SÃO PAULO – Em meio a muita discussão, será realizado nesta quarta-feira, dia 28 de junho, às 10h00, no prédio da Bolsa de Valores de São Paulo, o leilão de privatização da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP). Sob fortes críticas de improbidade administrativas e sobre fatores técnicos da operação, foram negados até a noite da última terça-feira cerca de 14 pedidos de liminar contra a realização do evento.

Dentre os pontos que levaram aos pedidos de suspensão do leilão de desestatização da empresa, destaque para as acusações de que o preço mínimo de venda seria baixo quando levado em consideração o dinheiro que a companhia detém em caixa, falta de autorização prévia da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e problemas futuros relacionados a pendências financeiras da CTEEP com a Eletrobrás.

Os funcionários da Transmissão Paulista informaram que vão entrar em greve a partir da zero hora desta quarta-feira e que vão realizar nesta manhã uma manifestação contra a privatização da companhia em frente ao prédio da Bovespa.

PUBLICIDADE

Plano de recuperação da Cesp

A privatização da CTEEP é o primeiro passo do plano de recuperação da Cesp (Companhia Energética de São Paulo), cujas dívidas estão atualmente avaliadas em R$ 10,4 bilhões. Segundo o Edital de Venda, 50,10% das ações ordinárias da empresa em propriedade do Estado, que representam 21% do capital social da CTEEP, serão ofertadas ao preço mínimo de R$ 24,11 por lote de mil ações, correspondendo ao valor de R$ 755,6 milhões.

Além de aplicar os recursos obtidos com a privatização da Transmissão Paulista para amortizar parte das dívidas da Cesp, o plano de recuperação da empresa prevê uma oferta de ações com valor duas vezes maior ao preço de venda da Transmissão Paulista. A captação de recursos por meio de emissão de debêntures e emissão de títulos de direitos creditórios também estão previstos.

Sob forte expectativa, as ações preferenciais da Transmissão Paulista fecharam o pregão de terça-feira entre os destaques de alta do Ibovespa, com valorização de 3,17%, cotadas a R$ 20,12.