Comando da Câmara

Situação inusitada, acusações e disputa embolada: eleição na Câmara preocupa Temer e guiará agenda

Novas candidaturas poderão ser registradas até o meio dia desta quarta-feira - a eleição ocorrerá por meio de urnas eletrônicas e o voto será secreto, conforme prevê o regimento interno da Casa

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Câmara dos Deputados vai definir hoje (13), a partir das 16h, o nome de novo presidente da Casa após a renúncia do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Até o momento, 14 deputados oficializaram candidaturas para o mandato tampão até fevereiro do ano que vem. Além de comandar a Casa, quem vencer a disputa será o segundo na linha sucessória do país, caso o Senado confirme o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. Novas candidaturas poderão ser registradas até o meio dia desta quarta-feira. A eleição ocorrerá por meio de urnas eletrônicas e o voto será secreto, conforme prevê o regimento interno da Casa.

E duas surpresas agitaram, na manhã da última terça-feira, a disputa pela presidência da Câmara. A primeira foi a decisão do PMDB de lançar candidato oficial; a segunda foi a vitória de Marcelo Castro (PI) na eleição interna realizada pela bancada do PMDB para escolher o nome que representaria o partido. Marcelo Castro foi ministro da Saúde de Dilma Rousseff e votou contra o impeachment da petista e sua candidatura embolará ainda mais a disputa, conforme destaca a LCA Consultores. Assim, cria-se uma situação inusitada, em que o candidato do partido do próprio presidente deve angariar votos da nova oposição e não é visto como positivo pela situação. 

De acordo com o reportado por jornais hoje, o presidente interino Michel Temer está preocupado e teve conversa ontem à noite com os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Agripino Maia (DEM-RN), enquanto o Planalto trabalha para desidratar o nome indicado pelo PMDB, destaca o jornal O Estado de S. Paulo, citando interlocutores do presidente interino. O acirramento da disputa não impediu, no entanto, importantes vitórias ontem no Congresso, como a aprovação do regime de urgência para a negociação da dívida dos estados, para o projeto de mudança no pré-sal na Câmara, além do Senado aprovar reajuste.

Aprenda a investir na bolsa

Para a LCA Consultores, Castro deve enfraquecer a candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que, apesar da negativa do PT, era uma opção para os deputados petistas interessados em barrar Rogério Rosso (PSD-DF), considerado próximo a Eduardo Cunha. “A capacidade de atrair votos do PT e dos demais partidos de oposição a Temer (PCdoB, PSOL e PDT) talvez tenha sido justamente o fator que explica a vitória de Castro entre os deputados peemedebistas. É sinal de que o PMDB entrou para valer na disputa. Neste momento, ele e [Rogério] Rosso parecem ser os favoritos”.

A consultoria destaca que o líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), garante que Castro hoje está alinhado ao governo Temer. “Possivelmente, tem razão. Segundo dados do Basometro, ferramenta do Estado de S. Paulo que acompanha o comportamento dos deputados nas deliberações de plenário, Castro apoiou o governo em todas as votações realizadas desde que Temer assumiu a presidência da República. Mesmo assim, se ele vencer, ficará a dúvida quanto à sua efetiva disposição de ajudar Temer a aprovar a pesada agenda de votações de interesse do governo no segundo semestre”, conclui a LCA. De acordo com o Estadão, Castro conta com apoio do PT e de outros partidos de oposição, totalizando 99 deputados.

Vale destacar as intrigas que envolvem a disputa na Câmara: na última terça-feira, o deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) afirmou que existe um vídeo no qual Rogério Rosso, preferido por Temer, aparece recebendo dinheiro do esquema de corrupção montado no governo do Distrito Federal, conhecido como “mensalão do DEM”, segundo informou O Globo. Fraga, adversário político de Rosso no Distrito Federal, disse que assistiu ao vídeo, mas preferiu não dar detalhes. Rosso negou a existência do vídeo e também que o fato tenha ocorrido: “fico muito triste que existe esse tipo de mentira, de baixo nível. Fico triste que, infelizmente, estão levando esse pleito nesse nível de baixaria. Envolvendo, inclusive, a minha esposa, que é uma pessoa maravilhosa. É muito lastimável, muito triste tudo isso. O próprio colaborador da Justiça (Durval Barbosa) negou em nota. É uma baixaria do mais alto grau, por causa da presidência da uma Câmara dos Deputados. É um baixo nível”, afirmou. A mulher de Rosso, Karina, apareceria num dos vídeos, o que ele nega.

Veja quem são os candidatos:

Luiza Erundina – Atualmente no PSOL, a deputada foi a primeira mulher prefeita de São Paulo (1989 a 1992), quando ainda era filiada ao PT (1980 a 1997). Do PT, Erundina foi para o PSB (1997-2016). Também foi vereadora (1983 a 1987) e deputada estadual (1987 a 1988).

Rogério Rosso – Deputado federal desde 2007, Rosso é advogado e ocupou cargos públicos no governo do Distrito Federal na gestão de Joaquim Roriz. Em 2010 foi escolhido governador em eleição indireta da Câmara Legislativa do DF para um mandato tampão após a saída do ex-governador José Roberto Arruda. Líder do PSD na Câmara, Rosso presidiu a Comissão do Impeachment que analisou a denúncia contra a presidente afastada Dilma Roussff na Casa. É aliado de Cunha.

PUBLICIDADE

Carlos Henrique Gaguim – Integrante do chamado centrão e aliado de Eduardo Cunha, já foi do PTB e do PMDB. Foi duas vezes vereador de Palmas, três vezes deputado estadual, duas vezes presidente da Assembleia Legislativa e governador de Tocantins. Atualmente, é filiado ao PTN e exerce seu primeiro mandato de deputado federal.

Marcelo Castro – Médico e professor da Universidade Federal do Piauí, o peemedebista Castro é ex-ministro da Saúde do governo da presidente afastada Dilma Rousseff. Já foi deputado estadual e se destacou na Câmara dos Deputados como presidente da CPI que investigou os acidentes aéreos em 2007.

Carlos Manato – Atual corregedor da Câmara, Manato também é integrante do centrão. É médico por formação e deputado desde 2003, quando se elegeu pelo PDT, antes de ir para o Solidariedade. Já integrou a Mesa Diretora da Câmara como suplente por duas vezes.

Fábio Ramalho – Está no terceiro mandato na Câmara dos Deputados. Formado em direito, Ramalho foi prefeito do município de Malacacheta (MG) no período de 1997 a 2004. Do PMDB, o deputado já integrou as comissões de Finanças e Tributação e de Legislação Participativa. Atualmente é titular da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fausto Pinato – Primeiro relator do processo contra Eduardo Cunha no Conselho de Ética, Pinato está em seu primeiro mandato de deputado federal pelo PP. Advogado, o deputado paulista já trabalhou como secretário parlamentar na Câmara e como assessor técnico na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Giacobo – Aliado de Cunha e empresário do ramo de móveis e eletrodomésticos, o deputado do PR também é ligado à bancada do agronegócio e foi presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

Cristiane Brasil – Em seu primeiro mandato de deputada federal, Cristiane já foi vereadora no Rio de Janeiro. Filha do delator do mensalão Roberto Jefferson, Cristiane é filiada ao PTB e já foi secretária extraordinária da Terceira Idade e secretária especial de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida da prefeitura do Rio de Janeiro.

Esperidião Amin – Advogado, professor universitário e administrador, Espridião Amin, atualmente em seu terceiro mandato na Câmara eleito pelo PP, foi governador de Santa Catarina e duas vezes prefeito de Florianópolis (SC).

PUBLICIDADE

Evair Vieira de Melo – Técnico agrícola e administrador de empresas com MBA em Gestão de Projetos, Vieira de Melo está em seu primeiro mandato como deputado federal pelo PV. Já foi secretário municipal de Agricultura de Venda Nova do Imigrante (ES) e diretor-presidente do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural.

Miro Teixeira – Jornalista e advogado, Teixeira é o Decano da Câmara dos Deputados e cumpre o 11º mandato como deputado federal. Foi parlamentar Constituinte e ministro das Comunicações no primeiro ano do primeiro governo do presidente Lula. É filiado à Rede.

Rodrigo Maia – Filho de ex-prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, Rodrigo Maia está em seu quinto mandato na Câmara dos Deputados. Ex-presidente do Democratas, o parlamentar já foi por duas vezes líder da bancada do partido na Câmara.

Beto Mansur – Atualmente, é o 1° secretário da Mesa Diretora da Câmara. Filiado ao PRB, está em seu quinto mandato como deputado federal. Mansur é radialista, empresário e engenheiro eletrônico e já foi prefeito de Santos (SP).

(Com Agência Brasil)