Shinzo Abe renuncia a bônus de verão em solidariedade ao escândalo de pensionistas

Procedimento pode ser uma tentativa do Partido Liberal Democrático para melhorar a reputação do governo

SÃO PAULO – Em solidariedade aos cidadãos prejudicados pelo escândalo da Previdência Social do Japão, o primeiro-ministro, Shinzo Abe, vai renunciar à parte do bônus de verão a qual têm direito.

O procedimento pode ser uma tentativa do Partido Liberal Democrático de melhorar sua reputação, já que, cada vez mais, a opinião pública rejeita o governo comandado pelo premiê.

Renúncia do bônus de verão

De acordo com Shiozaki, chefe de Gabinete que também renunciará ao bônus de verão, o primeiro-ministro recusará o recebimento de ¥ 2,34 milhões, que é parte do bônus calculado em mais de ¥ 5 milhões.

PUBLICIDADE

Shiozaki devolverá ¥ 940 mil, enquanto o ministro da Saúde, Yanagisawa, que também vai adotar a atitude, deixará de receber ¥ 896 mil. No entanto, ambos ainda aceitarão o bônus que têm direito a receber como legisladores.

O escândalo envolve cerca de 50 milhões de pensionistas no país, que, por um erro da Agência de Seguro Social, podem ficar sem receber os benefícios que lhes são de direito.