Senador volta atrás de decisão de unificar processos contra Renan Calheiros

Leomar Quintanilha também não dará mais a relatoria das duas últimas representações para Almeida Lima

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O presidente do Conselho de Ética, Leomar Quintanilha, voltou atrás da decisão tomada na última segunda-feira (1) de unificar as duas últimas representações contra o presidente da Casa, Renan Calheiros, e de dar a relatoria dos casos para o senador Almeida Lima.

A decisão de Quintanilha foi duramente criticada durante reunião no Conselho na tarde desta terça-feira. A oposição alegou que Almeida Lima já havia sido um dos relatores do primeiro processo contra Renan e pediu o arquivamento do caso, o que poderia comprometer as novas investigações.

O presidente do Conselho decidiu separar novamente as duas representações, deixar Lima como relator de uma delas e dar prazo preliminar de 30 dias para que os relatores apresentem seus relatórios. Na próxima quarta-feira, Quintanilha decide qual processo Lima vai relatar e quem será o relator da outra representação.

Oposição x Aliados

PUBLICIDADE

Os parlamentares da oposição elogiaram a decisão do senador. “Pelo menos parte das nossas preocupações foram atendidas com debate que fizemos aqui no Conselho de Ética. Naturalmente, a manutenção da tramitação das representações em separado é uma garantia legal que temos a partir de agora”, afirmou Renato Casagrande.

Já os senadores que defendem Renan Calheiros criticaram o recuo de Quintanilha. Wellington Salgado disse que a decisão abriu precedente para questionamentos semelhantes de presidentes de outras comissões.