Senado elege aliado de Calheiros para presidente do Conselho de Ética

Alguns senadores cobram agilidade no processo contra Renan Calheiros, outros julgam que faltam provas

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Foi eleito na manhã desta quarta-feira (30) para presidente do Conselho de Ética do Senado, o Senador do PT Sibá Machado, no processo de análise de quebra do decoro parlamentar por parte do presidente do Senado Renan Calheiros. A representação contra o presidente da Casa foi protocolada pelo PSOL.

Cabe a Sibá a decisão de arquivar o processo (o que pode acontecer caso o presidente do Conselho julgue que é necessário esperar que a Corregedoria do Senado conclua as investigações sobre Calheiros para analisar o requerimento) ou solicitar que um relator analise o caso.

Por ser aliado de Renan, Sibá deixou bem claro que qualquer decisão que venha a ser tomada por ele será estritamente como presidente do Conselho, não levando em conta nenhum aspecto pessoal. O advogado de Calheiros entregou nesta quarta-feira ao corregedor geral do Senado Romeu Tuma (DEM), documentos comprovando a procedência do dinheiro usado para pagar parte da pensão de sua filha com a jornalista Mônica Veloso.

Pressão sobre presidente do Conselho

PUBLICIDADE

Alguns senadores se manifestaram a respeito da escolha de Sibá Machado para a presidência do Conselho de Ética. Demóstenes Torres (DEM) cobrou de Sibá agilidade nas investigações sobre o caso e afirmou que não cabe a Corregedoria analisar a representação contra Renan, uma vez que este órgão trate apenas de casos internos do Senado.

Para Jefferson Peres (PDT), o processo deve ter prioridade de análise no Conselho, sendo que, caso isto não ocorra, o senador acredita que o órgão está agindo de acordo com interesses partidários.

Por outro lado

Em contrapartida, membros do Conselho de Ética julgam que ainda é cedo para trabalhar no caso sobre o presidente do Senado. Eles afirmam que devem surgir novos fatos até o fim desta semana pelo menos. Membros da oposição e da base governista acreditam que por enquanto não são muito relevantes os dados divulgados após o discurso de Renan na segunda-feira (28).