Senado dos EUA sinaliza que deve aprovar novo plano anti-crise e anima mercados

Líder da maioria na Casa disse que medida é importante para restaurar confiança no sistema financeiro e fortalecer a economia

SÃO PAULO – O Senado norte-americano deve votar na noite desta quarta-feira (1) a versão reformulada do plano de resgate ao sistema financeiro do país, que mesmo após as alterações promovidas, mantém a intenção central de disponibilizar US$ 700 bilhões para a compra de ativos podres de instituições prejudicadas pela crise.

A expectativa é grande por uma aprovação, ao contrário do ocorrido na última segunda-feira, quando o pacote foi rejeitado pelo Congresso. A postura dos próprios votantes sinaliza um desfecho favorável. “Senadores democratas e republicanos acreditam que é essencial que trabalhemos rapidamente nesta importante legislação para restaurar a confiança no nosso sistema financeiro e fortalecer a economia”, disse o líder da maioria na Casa, Harry Reid.

Caso as expectativas se confirmem, a proposta – que o governo diz ser essencial para evitar um espalhamento da crise – deve seguir na próxima quinta-feira para uma nova votação na Casa dos Representantes.

Alterações devem receber apoio

PUBLICIDADE

As mudanças implementadas pelos líderes do Senado no pacote que foi rejeitado visam, de um modo geral, garantir que o contribuinte norte-americano ganhe mais com a adoção da medida, o que torna mais viável sua aprovação nesta quarta-feira pelo Senado e, conseqüentemente, pelo Congresso.

Segundo analistas, ao incluir as modificações no pacote, os líderes da Casa esperam ganhar o voto de republicanos que ainda relutam em apoiá-lo. Contudo, ressaltam que há o risco de que isso desagrade os representantes democratas.

Entre as principais alterações, está a elevação do limite de depósitos garantidos pelo FDIC (Federal Deposit Insurance Corporation) de US$ 100 mil para US$ 250 mil, além da extinção do limite de empréstimo do Tesouro dos EUA ao órgão regulador dos bancos de varejo do país.

Também foram incluídos descontos nos impostos para promover o uso de fontes de energia renováveis por empresas, no total de quase US$ 80 bilhões, e a prorrogação e ampliação de outras reduções nos impostos para pessoas físicas e corporações.

Esperança

Entre os esperançosos por uma aprovação do pacote está a NAHB (National Association of Home Builders), que considera a medida como essencial para evitar um completo colapso dos mercados financeiros, análise já comum entre diversos especialistas.

O presidente da NAHB, Sandy Dunn, disse que a votação desta noite no Senado e posteriormente na Câmara dos Deputados pode ser “a nossa última chance de salvar a economia mundial de um recessão profunda e dolorosa”.