Senado dos EUA questiona gastos do Federal Reserve para combater a crise

Congressistas exigem informações sobre financiamentos especiais e desejam estudos sobre repartições regionais

SÃO PAULO – A autonomia do Federal Reserve, um dos pilares institucionais consagrados dos Estados Unidos, foi questionada pelo Senado do país. Parlamentares desejam o compartilhamento de informações e estudo sobre repartições regionais.

Embora não atinja as atribuições centrais do Federal Reserve, como a definição independente da política monetária do país, as medidas aprovadas pelos congressistas revelam a desconfiança crescente do legislativo com relação à instituição comandada por Ben Bernanke.

Entre as responsabilidades da autoridade monetária está a estabilidade do sistema financeiro, agindo como concessor de última instância em caso de uma crise de liquidez nos mercados.

Prestando contas

PUBLICIDADE

Uma emenda ao orçamento foi aprovada pelos senadores, requerendo detalhes sobre quais instituições financeiras receberam recursos provenientes das linhas especiais do Fed desde o início da atual crise.

“O povo americano tem o direito de saber para quem o Fed empresta os recursos de contribuintes, quanto eles recebem e o que tem sido pedido em troca deste dinheiro”, disse o senador independente Bernie Sanders.

Também foram aprovadas medidas que exigem a prestação de contas sobre perdas com as operações de resgate, como a ocorrida em relação à seguradora AIG, além de um estudo sobre os custos e o número adequado de repartições regionais do Federal Reserve.

Com a crise, aumentaram as pressões para a regulação mais efetiva sobre os mercados financeiros, com propostas sobre a criação de uma nova agência supervisora do risco sistêmico.