Discurso

Sem Lava Jato, Brasil amanhã será o Rio de Janeiro, diz Gilmar Mendes nos EUA

Segundo ele, se uma reforma política não ocorrer para as eleições de 2018, o país poderá ser “entregue“ ao crime organizado e instituições como igrejas

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Diversas autoridades brasileiras estão participando de um evento nos Estados Unidos, e nesta sexta-feita (7) foi a vez do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes realizar uma conferência. Durante sua fala, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), disse que, sem as ações da Lava Jato, o Brasil “será o Rio de Janeiro amanhã”.

“Acho que nem precisa descrever: milícias, tráfico de drogas e agora tudo isso que está acontecendo, envolvendo todos os poderes: Legislativo, Executivo, Tribunal de Contas, tudo mais. Se não houver interrupção neste processo, o Brasil será amanhã o grande Rio de Janeiro. O Rio é um retrato na parede. Como dói”, afirmou o ministro.

Segundo ele, se uma reforma política não ocorrer a tempo de ser utilizada para as eleições de 2018, o país poderá ser “entregue” ao crime organizado e instituições como igrejas. Gilmar afirmou ser preciso fazer algo até o dia 2 de outubro, prazo para que as regras da reforma política passem a valer nas próximas eleições presidenciais.

Aprenda a investir na bolsa

“Vamos para a eleição de 2018, que é uma eleição grande, sem modelo específico. Só com doação das pessoas físicas, que no Brasil não tem tradição, e muito provavelmente vamos ficar entregues ao crime organizado, a pessoas que já trabalham no ilícito ou a algumas organizações que têm modo próprio de financiamento (igrejas) coisas assim”, disse o ministro. “Corremos o risco de ter uma eleição muito distorcida”, completou.