Se tivessem juízo, votariam a favor da CPMF, diz Lula sobre senadores

Oposição criticou declaração de presidente e DEM afirma que ficará de olho no governo para identificar possíveis manobras

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Se os senadores tiverem juízo, votarão a favor da PEC (proposta de emenda à Constituição) que prorroga a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) até 2011. A afirmação foi feita na última quinta-feira (6) pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante pronunciamento no Pará. “Se fosse para ajudar rico, ninguém votava contra”, adicionou.

“Como uma pessoa pode querer negociar com um partido quebrando a sua espinha dorsal?”, questionou o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio Neto (AM), ao comentar o pronunciamento do presidente. Agora, disse, o governo demonstra não ter qualquer vontade de negociar a matéria.

Falso e falseado

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) classificou os discursos de Lula de “falsos, falseados e fascistas”. Segundo Jereissati, o parlamento não deve mais aceitar esse tipo de discurso que, a seu ver, coloca os senadores que divergem da prorrogação da CPMF como contrários aos interesses do povo.

Aprenda a investir na bolsa

Para o líder do Democratas no Senado, José Agripino Maia (RN), a declaração de Lula refletiria uma inquietação do presidente com uma possível derrota no Senado. “O presidente deve estar muito perturbado por não ter os 49 votos [mínimo necessário para aprovar a PEC]“, afirmou. Estima-se que os parlamentares favoráveis somem de 46 a 48.

Agripino completou que o partido “vai ficar de olho” em possíveis manobras do governo, durante o fim de semana, para conquistar esses votos. O democrata disse que o “blefe do governo” foi descoberto quando desmarcou hoje e transferiu para a próxima terça-feira (11) a votação da emenda que prorroga o tributo. “O acompanhamento será rigoroso”, finalizou à Agência Brasil.