Visita polêmica

“Se senadores estão aqui, é porque não têm muito trabalho por lá”, diz vice venezuelano

Vice-presidente da Venezuela, Jorge Arreaza, debochou dos senadores brasileiros em uma mensagem enviada ao celular de Lilian Tintori, mulher de Leopoldo López

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A visita da comitiva de senadores brasileiros da oposição à Venezuela continua rendendo. De acordo com a versão brasileira do site alemão DW e com a Folha de S. Paulo, o vice-presidente da Venezuela, Jorge Arreaza, debochou dos senadores brasileiros em uma mensagem enviada ao celular de Lilian Tintori, mulher de Leopoldo López. López é um dos políticos de oposição que está preso no país.

“Se os senadores estão aqui é porque não têm muito trabalho por lá. Umas horas a mais ou a menos, dá no mesmo”, diz o texto enviado a Tintori.

Oito senadores brasileiros foram para a Venezuela ontem. São eles: José Agripino (DEM-RN), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), Aécio Neves (PSDB-MG), Ricardo Ferraço (PMDB-ES), Sérgio Petecão (PSD-AC), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e José Medeiros (PPS-MT).

PUBLICIDADE

Entre as atividades previstas para a missão estava um ato com as esposas de políticos presos e a defesa, junto aos meios de comunicação venezuelanos, da liberdade e da democracia. A comissão externa foi criada com base no Requerimento 77/2015, de autoria do senador Ferraço, aprovado no Plenário do Senado em fevereiro deste ano.

A comitiva de senadores brasileiros que desembarcou no início da tarde de ontem na Venezuela teve a viagem bloqueada por manifestantes favoráveis ao governo do presidente Nicolás Maduro. Ao sair do aeroporto, os senadores encontraram bloqueadas as vias de acesso ao presídio onde se encontra Leopoldo Lopez. O bloqueio foi feito por cerca de 100 manifestantes, que, inclusive, apedrejaram o ônibus em que a comitiva se encontra. 

Veja também: Dilma fica “muito irritada” e vê que viagem de senadores à Venezuela constrangeu o Brasil