Se as eleições fossem hoje, Lula venceria já no 1º turno, revela pesquisa CNT/Sensus

Citado por 40,5% dos eleitores, Lula teria mais votos do que a soma de todos os outros candidatos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Mostrando forte avanço frente ao resultado da pesquisa realizada em abril, o suposto candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT), além de figurar à frente de Geraldo Alckmin, agora venceria o adversário tucano já no primeiro turno se as eleições fossem hoje.

Lula aparece agora com 40,5% das intenções de voto, contra 18,7% de Geraldo Alckmin. Na pesquisa anterior, esses percentuais estavam em 37,5% e 20,6%, respectivamente. O percentual de entrevistados que votariam em Anthony Garotinho (PMDB) passou de 15% para 11,4%. Já Heloísa Helena (PSol) subiu de 4,3% para 6,1%.

Mais votos do que a soma dos outros candidatos

Isso significa que Lula teria mais votos do que a soma de todos os outros candidatos, o que lhe garantiria uma vitória já no primeiro turno. Esse resultado também foi apurado na pesquisa espontânea, em que o presidente aparece com 28,2% das intenções de voto, contra 8,1% de Alckmin.

Aprenda a investir na bolsa

Os números vêm da pesquisa encomendada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo e Região ao Instituto Sensus. Foram entrevistados 2 mil eleitores em 195 municípios, entre os dias 18 e 21 de maio. A margem de erro da sondagem é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Vantagem se mantém no segundo turno

Em um eventual segundo turno, a situação do candidato do PT perante o eleitorado também se mostra bastante favorável. Segundo a sondagem, Lula venceria todos os adversários. Na comparação com o candidato Geraldo Alckmin, o petista receberia 48,8% dos votos válidos e o tucano, 31,3%.

O índice de rejeição individual de Lula permaneceu praticamente estável em maio, saindo de 35,7% em abril para 34,7% no mês passado. O de Alckmin, entretanto, subiu de 33,5% para 40,6%.

Outro ponto favorável ao presidente Lula diz respeito à avaliação do seu governo. Segundo a pesquisa, 38,3% dos entrevistados consideram o governo atual ótimo ou bom. Em abril, esse percentual era de 37,6%. Na avaliação negativa, os percentuais passaram de 24,1% para 22,2% em maio. Os consultados que consideraram o governo regular passaram de 36,7% em abril para 37,5% no mês seguinte.