RADAR INFOMONEY Por que o mercado "gostou" do aumento na conta de luz? Assista ao programa desta terça

Por que o mercado "gostou" do aumento na conta de luz? Assista ao programa desta terça

Sarney cria comissão de sindicância para apurar denúncias de atos secretos

Trabalho de investigação do caso deve durar sete dias; para Michel Temer, presidente do Senado está conduzindo bem a situação

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), nomeou no fim da tarde desta sexta-feira (19) uma comissão de sindicância para apurar as denúncias de atos secretos na Casa.

A comissão, que terá um prazo de sete dias para investigar o caso, será composta pelos servidores Alberto Moreira Filho, Gilberto Guerzoni Filho e Maria Amália da Luz.

A crise no Senado se agravou após a afirmação do chefe do serviço de publicação do Boletim de Pessoal do Senado, Franklin Albuquerque Paes Landim, de que as ordens para manter atos administrativos secretos partiam do ex-diretor-geral Agaciel da Silva Maia e do ex-diretor de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi.

Aprenda a investir na bolsa

“Tomei a decisão de mandar abrir uma comissão de sindicância, de acordo com a lei, (…) para apurar as responsabilidades desse caso. Em seguida, de acordo com o resultado dessa sindicância, nós teremos a abertura de inquérito administrativo para punir os culpados”, afirmou Sarney.

Início do problema

As acusações de que irregularidades teriam sido cometidas no Senado surgiram, segundo reportou Sarney no início da semana, devido a própria Mesa Diretora da Casa, que decidiu investigar a existência de atos secretos. Para o senador, as irregularidades são culpa de administrações passadas.

“É uma injustiça do País julgar um homem como eu (…) não sei o que é ato secreto, mas se eles existiram, nós não temos nada que ver com isso. Hoje, tudo está na rede”, afirmou Sarney.

Repercussão

Sobre o assunto, o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), disse que Sarney está “tomando todas as atitudes moralizadoras” necessárias para colocar a “Casa nos trilhos”.
“Não é de um dia para o outro que se aplica toda a reformulação”, disse o deputado, indicando que as medidas tomadas por Sarney deverão levar algum tempo para surtir efeito.

Os resultados da sindicância instalada nesta data, deverão ser atualizados a partir da próxima segunda-feira (22), quando o primeiro secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), retornará aos trabalhos na Casa.